Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 31, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

ESPECIAL FÁTIMA | GNR aconselha utilização de bolsas de estacionamento fora da Cova da Iria (C/VIDEO)

A GNR aconselhou hoje os peregrinos que se vão deslocar a Fátima nas próximas horas a utilizarem as bolsas de estacionamento fora da Cova da Iria, uma vez que os parques mais próximos do santuário estão completos.

Num encontro com jornalistas, realizado na sala de imprensa do Santuário de Fátima, o porta-voz da GNR, major Bruno Marques, afirmou que os automobilistas vão encontrar várias bolsas de estacionamento nas estradas nacionais que dão acesso a Fátima.

MédioTejo.net em direto do Santuário de Fátima

Publicado por mediotejo.net em Quinta-feira, 11 de Maio de 2017

O porta-voz da Guarda Nacional Republicana sugeriu também aos peregrinos para que não deixem objetos de valor nos automóveis e para que evitem a autoestrada 1 (A1), utilizando como alternativas a A8, A23 e Itinerário Complementar 9.

No âmbito da visita do papa Francisco, a GNR tem três operações em curso, uma destinada aos peregrinos que se deslocam a pé, outra orientada para o controlo das fronteiras e a que se destina a garantir a proteção e segurança do papa e de todos as pessoas que se deslocam a Fátima, denominada “operação centenário”.

Bruno Marques adiantou que, até ao momento, não se registou qualquer incidente com os peregrinos que se deslocam a pé para o Santuário de Fátima, devendo a maior parte chegar na sexta-feira.

O porta-voz da corporação disse que também não se registou qualquer problema no âmbito da “operação centenário”.

Bruno Marques indicou igualmente que a GNR deteve 13 pessoas e apreendeu seis armas e quatro veículos na quarta-feira, primeiro dia da operação de fiscalização e controlo nas fronteiras portuguesas.

Segundo a GNR, a maior parte das detenções ocorreram na região norte do país e as armas apreendidas são na maioria brancas.

Esta operação de controlo, fiscalização e vigilância das fronteiras terrestre, marítima e fluvial, bem como aeródromos e pistas de aterragem, tem como objetivo prevenir e evitar a entrada no país de cidadãos, veículos e meios que possam executar ou ser utilizados “em ações hostis” no âmbito da visita do papa Francisco, explicou.

O controlo documental nas fronteiras aéreas, marítimas e terrestres portuguesas foi reposto temporariamente às 00:00 de quarta-feira, fiscalização que termina às 00:00 de domingo, por “razões de segurança interna e ordem pública” devido à visita do papa Francisco.

Para as três operações, a GNR envolve, um total, de 5.000 militares diariamente.

Francisco é o quarto papa a visitar Fátima, depois de Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

O papa tem encontros previstos com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, logo à chegada, e com o primeiro-ministro, António Costa, no sábado.

Agência Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome