Especial Ferreira do Zêzere | Retrato das freguesias: Nossa Senhora do Pranto

Santuário N.Sra. do Pranto - Detalhe do painel da escadaria Foto: DR

No âmbito da Festa do Emigrante, o mediotejo.net visita o concelho de Ferreira do Zêzere, dando a conhecer um pouco da sua história e de cada uma das 7 freguesias que o compõem.

Nossa Senhor do Pranto nasceu da fusão das freguesias de Dornes e Paio Mendes e tem a sua sede em Frazoeira.

Dornes é referenciado em alguns documentos do século XIII como tendo sido uma comenda Templária. A sua origem enquanto povoação iniciou-se com a construção em 1453 da Igreja de Nossa Senhora do Pranto ordenada pelo Comendador da Ordem de Cristo D. Gonçalo de Sousa. A sua crescente importância levou à concessão de foral por D. Manuel I em 1513. Foi então sede de concelho até 1835, ano em que a reforma de Rodrigo da Fonseca levou à extinção do concelho de Dornes e à sua integração no concelho de Ferreira do Zêzere. O lugar de Carril é conhecido como um dos berços do hino nacional de Portugal, por ter sido com a Sociedade Filarmónica Carrilense que foi feita em 1890 por Alfredo Keil a primeira orquestração da marcha “A Portuguesa”.

A torre templária, Pentagonal, erigida num penhasco com um traçado irregular e única no País, terá sido edificada sobre o que restava de uma outra atribuída a Sertório. Foto: DR

Paio Mendes deve o nome ao fundador da povoação que fazia parte do Distrito do Castelo de Ceras, doado por D. Afonso Henriques aos Templários. Após a extinção desta Ordem, fez-se a divisão das comendas e todos os lugares que atualmente constituem a freguesia faziam nessa época parte de Dornes. A freguesia foi constituída já na segunda metade do século XVI e o assento mais antigo da freguesia data de 1592.

Tem a palavra… José Manuel Martins Russo, 67 anos, há vinte anos no cargo em representação do PSD.

O que tem de melhor e de pior a sua freguesia?
A minha freguesia é um local maravilhoso para viver dada a proximidade da Albufeira do Castelo de Bode. É uma freguesia pacífica, agradável e hospitaleira, sem grandes pontos negativos a ressaltar, talvez apenas os que resultam da interioridade do próprio concelho.

Como tem sido a relação da Junta de Freguesia com a Câmara de Ferreira do Zêzere?
A relação com a Câmara Municipal tem sido razoável.

Que implicações teve a agregação das freguesias no seu território? 
O processo de agregação foi muito pacífico e o resultado obtido foi uma nova freguesia territorialmente extensa e consequentemente com o dobro dos habitantes, mas sem sobressaltos nem atritos.

Que dificuldades sente na gestão da freguesia?
As maiores dificuldades são sem dúvida as financeiras que nos impõem muitas condicionantes no desenvolvimento do nosso trabalho.

O que é mais gratificante no cargo de presidente de junta?
O mais gratificante é o contacto com a população.

Complete a frase: não gostaria de terminar o meu mandato sem… concluir as obras que tanto ambiciono.

Paio Mendes, Igreja Matriz
Foto: DR

Retrato da Freguesia

Orago: S.Vicente

Lugares: Aldeia da Ereira; Alqueidão; Barbeira; Barrada; Boca da Mata; Bom Vento; Cagida; Carril; Casal Ascenso Antunes; Casal da Cruz; Casal da Mata; Castelo; Costa; Courelas; Dornes; Encharia; Fartosa; Fonte da Ereira; Fundo da Rua; Frazoeira; Gaióis; Galeguia; Jericó; Joaninho; Junqueira; Lameirancha; Lameiras; Levada; Macieira da Rocha; Paio Mendes; Pau Mau; Peralfaia; Quinta da Benta; Quinta da Mata; Quintas; Ribeiro da Coroa; Relvas; Rio Cimeiro; Rio Fundeiro; Salão de Baixo; Salão de Cima; Souto da Eira; Souto das Eiras; Vale Lameiros; Vale Perro e Vale Serrão.

Área: 30,48 m2
População:  1.089 habitantes

Brasões

Ordenação heráldica: 25 de agosto de 1998
Descrição: Escudo de ouro, monte de verde encimado por torre de negro, lavrada de prata, aberta e iluminada de vermelho, entre três círios de azul, passados dois em aspa e um em pala, atados de vermelho e uma lira de azul; em chefe, cruz da Ordem de Cristo; campanha ondada de prata, carregada de uma burela ondada de azul. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com a legenda a negro em maiúsculas: “DORNES“.
Ordenação heráldica: 29 de dezembro de 1995
Descrição: Escudo equipolado de azul e ouro, estando estes pontos carregados, o do chefe de uma cruz da Ordem de Cristo, de vermelho aberta de prata, os dos flancos de dois corvos de negro postos em cortesia e o do contrachefe de um pinheiro manso, arrancado de verde. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro, em maiúsculas: “PAIO MENDES”.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here