Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sexta-feira, Maio 14, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Especial Abrantes | ‘Vozes’ femininas chegaram aos céus numa noite de emoções com Rui Drumond (c/videos)

As Festas da Cidade de Abrantes arrancaram na quarta-feira, 13 de junho, com várias iniciativas, entre elas, no palco principal na Praça Barão da Batalha, um dos concertos mais esperados com o cantor Rui Drumond a acompanhar as cinco ‘Vozes de Abrantes’ de 2018. O mediotejo.net esteve nos bastidores com as escolhidas para saber do nervosismo e das expetativas para a primeira noite musical. Falou com Rui Drumond sobre a escolha das Vozes e do espaço musical existente em Portugal para acolher novos talentos e conversou também com o vereador Luís Dias, com o pelouro da Cultura na Câmara Municipal de Abrantes, sobre a continuidade da iniciativa.

A azáfama de testar os instrumentos, a batuta que massacra a bateria vezes sem conta, as letras e as músicas espalhadas pelo palco, os músicos descontraídos no seu ritual de ensaiar pela última vez antes do público sugerem uma noite que tarda em chegar para as cinco novas vozes revelação do concelho, todas femininas: Carolina Siborro de Azevedo, Elvira Roldão, Matilde Pombo, Soraia Migas e Vera Catarina Rodrigues.

As cinco subiram ao palco no dia de Santo António, mas não precisaram de apelar à intervenção divina pela boa sorte, valendo-lhes a fé na capacidade de ultrapassar obstáculos, ainda mais quando a barreira é um pequeno passo para alcançar o sonho de cantar.

As vencedoras do casting ‘Vozes de Abrantes’, realizado no passado dia 1 de maio, atuaram com Rui Drumond, na primeira noite das Festas da Cidade de Abrantes.

‘Vozes de Abrantes’ 2018 com Rui Drumond

As participantes foram escolhidas entre os 10 concorrentes que se apresentaram perante o júri da edição de 2018, composto pelos músicos Luís Zagalo, António Jorge Nogueira e Rui Drumond e o vereador da cultura da Câmara Municipal de Abrantes, Luís Dias. Cada candidato teve um minuto e meio para mostrar a cappella porque merecia ser escolhido.

Elvira vive em Casais de Revelhos e é fadista nas horas vagas. Na verdade trabalha nos serviços administrativos de Ortopedia do Hospital de Abrantes, mas a música e a canção correm-lhe nas veias e sempre que pode sobe a um qualquer palco para mostrar o seu talento.

“Não é uma novidade, mas ainda assim estou um bocadinho nervosa”, confessa. Sente ser “uma grande responsabilidade” enfrentar o público abrantino, afinal está a cantar em casa. Elvira concorreu à iniciativa ‘Vozes de Abrantes’ por causa da filha mais nova que, inconformada por Elvira recusar participar em 2017, inscreveu a mãe no último dia sem que esta soubesse.

Apesar de gostar da profissão que abraçou, Elvira admite que “seria giro” poder viver da música, mas “não dá!”, afirma. A música é por isso “um sonho, um passatempo, um escape e uma paixão”. Com o reconhecimento chegado através da iniciativa ‘Vozes de Abrantes’ a vida segue como sempre, “tentando ter novas experiências”. O objetivo de Elvira não passa por “ganhar” mas sim por “participar e conviver, no fado é a mesma coisa”.

Festas da Cidade de Abrantes. Rui Drumond com Carolina de Azevedo.

Para Soraia, nos seus jovens 19 anos, a experiência em palco com Rui Drumond também não é uma estreia. “Já atuei para 300 pessoas” diz. Canta em festas, karaoke, para os amigos. O concerto nas Festas da Cidade de Abrantes representa, no entanto, “um voo mais alto” considera.

Concorreu às ‘Vozes de Abrantes’ “um bocadinho obrigada pelos amigos. Uma amiga sugeriu” e os restantes amigos incentivaram na inscrição. “Pensei em desistir à última hora” mas acabou por se apresentar no casting.

Reconhece esta seleção como “um primeiro passo na aquisição de coragem para tentar uma carreira musical”. Soraia, natural de Beja há quase uma década a viver em Abrantes, não acreditava ter “talento suficiente para ingressar no mundo da música” com esta iniciativa começa agora “a acreditar que tem hipóteses”, diz. Se a oportunidade se revelar, quer cantar por esse Portugal fora.

Festas da Cidades de Abrantes. Rui Drumond

Matilde Pombo é a mais jovem das cinco selecionadas. Com 12 anos já só pensa em cantar e sem receios de enfrentar o público nem cantar ao lado de um veterano como Rui Drumond, embora observe “um pequeno nervosismo”. Concorreu às ‘Vozes de Abrantes’ por ter uma mãe atenta às redes sociais.

“Começou com uma brincadeira!” afirma. “A minha mãe soube do concurso através do Facebook e decidi concorrer porque adoro cantar”. Com o Rui Drumond? “Estou à vontade com ele” afirma Matilde, aluna da Escola Dom Miguel de Almeida, em Abrantes.

Vera Catarina tem 26 anos e vive em Alvega. Pisou ontem um palco pela primeira vez, tal como Matilde. “Cantar só mesmo em karaoke”, revela. Como prioridade “a paixão pela música e o gosto de cantar”. Se pudesse Vera faria da música uma carreira profissional, para já a realidade permite-lhe trabalhar num posto de combustível em Alferrarede. “A música é só um sonho”, desabafa.

Durante o concerto as cinco cantaram músicas em português e em inglês, no palco na Praça Barão da Batalha onde o público entusiasta aplaudiu os solos e os duetos com Rui Drumond. No final do espetáculo as cinco abrantinas tiveram como parceiros de palco as Vozes de Abrantes 2017.

Festas da Cidade de Abrantes. Rui Drumond e Matilde Pombo

Rui Drumond integrou o júri que em 2018 selecionou as ‘Vozes de Abrantes’ e confessou ao mediotejo.net não ter sido uma tarefa fácil. “É sempre difícil escolher quem vai passar à frente. Havia outra vozes muito boas mas temos de pensar em vários aspetos e chegámos a um consenso” referindo-se os restantes elementos do júri.

O cantor vê com bons olhos esta iniciativa abrantina, como qualquer outra que signifique lançar novas vozes no panorama musical português. “Fantástica! Ótima iniciativa. É o que mais gosto de fazer. Portugal tem talento que transborda para poder colocar mais gente cá fora a cantar” considerando existir “espaço para todos, ao contrário daquilo que as pessoas pensam”.

As ‘Vozes de Abrantes’ surgiram no âmbito do centenário da Cidade de Abrantes, há dois anos, e a ideia passa por “capitalizar o talento local, reflexo do que é feito ao longo do ano”, disse o vereador Luís Dias. Assim surgiu “um produto que deriva do centenário, de afirmação do sentimento de pertença, para perguntar aos nossos: quem é que tem a humildade e a coragem de passar por um casting junto de músicos profissionais, depois passar por um processo de estudo e por fim o palco?” que no fundo, segundo o responsável, é “um abrir de portas”.

Este projeto “teve uma dimensão laboratorial, agora tem uma dimensão mais empírica, relacionada com o talento, da formação da voz e o facto de Rui Drumond estar connosco, uma pessoa altamente capacitada, um professor, um mestre que trabalhou com estas cinco vozes femininas” abrantinas. Segundo o vereador, a iniciativa ‘Vozes de Abrantes’ é para continuar “assim haja talento, mas acreditamos que pelo menos por mais 97 anos” diz sorridente.

Foi no Centro Histórico que tudo começou, às 19h00 de quarta-feira, dia 13, com a abertura oficial das festas. No entanto, o local começou a ter movimento uma hora antes no espaço “Serralves em Abrantes”, onde as famílias podem usufruir de diversos espetáculos com artes circenses e sensoriais entre as 18h00 e as 22h00 nos dias úteis e também das 11h00 às 13h00 durante o fim-de-semana.

Esta quinta-feira, feriado municipal, dia 14 de junho, às 14h30, na Praça Raimundo Soares, realizam-se as cerimónias do Dia da Cidade, que têm início com o hastear da bandeira com Guarda de Honra pelo RAME – Regimento de Apoio Militar de Emergência, a interpretação do Hino Nacional pelos coros do Orfeão de Abrantes e da SAT – Sociedade Artística Tramagalense, acompanhados pelas Bandas Filarmónicas do concelho.

O programa, que anuncia a presença do secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, continua na galeria quARTel com uma homenagem aos funcionários municipais com 25 anos de serviço e aposentados este ano, assim como a assinatura do protocolo que formaliza a parceria entre a Câmara Municipal e a Fundação Serralves e a receção do prémio Museu do Ano atribuído ao Museu Metalúrgica Duarte Ferreira pela APOM.

Para o ponto mais alto da cidade está reservado outro ponto igualmente elevado do programa com o concerto “Bravo Abrantes” que junta Sónia Tavares, Paulo de Carvalho e a Orquestra Ibérica, dirigida pelo Maestro Nuno Feist, a partir das 22h00 desta quinta-feira, dia 14. A partir desta data, e até à última, o centro histórico é invadido pelos sons ambulantes da Academia Músicos de Abrantes (AMA).

Abrantes | Nos bastidores do concerto das vencedoras da iniciativa 'Vozes de Abrantes' 2018 com o cantor Rui Drumond, que esta noite subirão ao palco no arranque das Festas da Cidade.

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 13 de Junho de 2018

Abrantes | No arranque das Festas da Cidade, o vereador Luis Dias fala da importância da aposta nas 'Vozes de Abrantes' que esta noite sobem ao palco com Rui Drumond.

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 13 de Junho de 2018

Abrantes | Concerto 'Vozes de Abrantes' com Rui Drumond no primeiro dia das festas da cidade.

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 13 de Junho de 2018

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome

- Publicidade -