- Publicidade -

Especial Abrantes | Homenagens, cultura e descentralização marcam Dia da Cidade

As cerimónias do Dia da Cidade de Abrantes começaram esta quinta-feira, 14 de junho, com o hastear da Bandeira nos Paços do Concelho pelos presidentes da Câmara, Maria do Céu Albuquerque, da Assembleia Municipal, António Mor, e pelo secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, com Guarda de Honra pelo RAME – Regimento de Apoio Militar de Emergência, Hino Nacional interpretado pelos coros do Orfeão de Abrantes e da SAT – Sociedade Artística Tramagalense, acompanhados pelas Bandas Filarmónicas do concelho: Alvega, Mouriscas, Rio de Moinhos e Rossio ao Sul do Tejo.

No seu discurso em dia de feriado municipal, na Galeria quARTel da Arte Contemporânea de Abrantes, coleção Figueiredo Ribeiro, a presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, afirmou que “a definição de uma estratégia de investimento cultural, científica e desportiva é a melhor aposta para um desenvolvimento harmonioso dos cidadãos, para a melhoria da sua qualidade de vida e para a criação de uma verdadeira dinâmica social”.

Por isso, no Dia da Cidade, foi reforçada “uma visão integradora e uma estratégia municipal de criação de uma nova rede polinuclear de equipamentos culturais – veja-se o Museu Ibérico de Arqueologia e Arte, o Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida, QuARTel da Arte Contemporânea de Abrantes – Coleção Figueiredo Ribeiro, e o Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, em Tramagal, Museu do Ano 2018”, referiu a presidente.

Cerimónias do Dia da Cidade de Abrantes 2018.

A autarca socialista destacou ainda a identificação de “recursos e percursos turísticos para que sejam cada vez mais acessíveis e inclusivos” para todos. Para além da Cultura, Maria do Céu Albuquerque assumiu a aposta na Educação “formal e não formal” como prioritária.

A presidente agradeceu também à Fundação de Serralves, na pessoa da presidente do Conselho de Administração, Ana Pinho, pelo facto do Município de Abrantes ter hoje podido firmar um protocolo de colaboração com aquela instituição cultural, juntando-se a um conjunto de autarquias como Castelo Branco, Viseu, Matosinhos, Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Vila do Conde, Funchal, Maia, Ponta Delgada, entre outras.

A chancela da qualidade e do reconhecimento da marca ‘Serralves’ “norteará esta relação institucional e as consequentes multiplicidades com os demais Fundadores. Esta parceria permitirá alargar as condições de acesso a redes culturais internacionais e de aproximação das populações e entidades locais à arte, à cultura, à sensibilização ambiental, às indústrias criativas e de estímulo ao turismo”, destacou a autarca.

Enquanto Câmara Fundadora, Abrantes passará a ter um conjunto de “benefícios, regulados por um plano bianual de atividades que contemplará exposições anuais (a primeira será já a partir de setembro, no Parque Tejo), visitas guiadas, programas pedagógicos e estágios, consultadoria nas áreas da arte contemporânea, da sensibilização ambiental e conservação de espaços públicos verdes, ações de formação para técnicos de jardinagem, entre outras iniciativas exclusivas e de utilização dos espaços de Serralves”, acrescentou, seguindo-se a assinatura do protocolo entre a Câmara Municipal e a Fundação Serralves.

Cerimónias do Dia da Cidade de Abrantes 2018.

Por seu lado, Ana Pinho deu conta das “muitas exposições” que Serralves leva para fora de Portugal até vários continentes e por todo o País, assumindo a “função de serviço público tentando também levar as coleções às pessoas”. Em 2017 a Fundação Serralves apresentou 25 exposições.

Antes da assinatura do Protocolo, o reconhecimento para à Associação Portuguesa de Museologia, “pelo prestígio que nos honra, que nos responsabiliza e nos desafia com o Prémio de Museu do Ano, recentemente atribuído ao Museu Metalúrgica Duarte Ferreira. Mantemos a convicção de que os projetos que envolvem a participação da Comunidade são os mais grandiosos. Assumimos o desafio de continuar a investir na valorização deste e na criação de uma Rede de Museus em Abrantes com o vosso continuado apoio”.

Prémio de Museu do Ano, recentemente atribuído ao Museu Metalúrgica Duarte Ferreira

Maria do Céu Albuquerque na presença do secretário de Estado das Autarquias, Carlos Miguel, agradeceu “a presença constante do Governo Central nos grandes momentos de afirmação do Poder Local e o nosso compromisso para que continuemos a privilegiar a construção diária de novas redes, de novos princípios de intermunicipalidade, de novas formas de atuação e a aceitação dos novos desafios da descentralização”.

Cerimónias do Dia da Cidade de Abrantes 2018. A presidente Maria do Céu Albuquerque

A edil colocando na tónica na “descentralização” disse acreditar que “ao trazer as políticas públicas para os decisores locais, estamos em condições de afirmar de forma mais próxima dos cidadãos, conhecedores melhor das suas aspirações e necessidades” conduzindo a “uma melhoria de qualidade de vida dos cidadãos e ao reforço da competitividade dos nosso territórios”.

O secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, agradeceu as referências que a presidente fez à descentralização. “A descentralização não é uma birra do Governo e muito menos um capricho do primeiro ministro […] sabemos por experiência própria o quanto um município, uma junta de freguesia, pode fazer mais, melhor, pelas pessoas e pelo território”, disse, considerando a descentralização “um desafio” para um território “mais bem cuidado”, dando conta “dos tropeços” diários “para que nada se faça”, garantindo, no entanto, que a descentralização será uma realidade.

Carlos Miguel lembrou que, esta sexta-feira, 15 de junho, discute-se na Assembleia da República “uma alteração profunda à Lei das Finanças Locais que é fundamental para a descentralização”, considerando essencial “um reforço financeiro para um reforço de competências”, no sentido de fortalecer “a saúde, a educação e a cultura”.

Cerimónias do Dia da Cidade de Abrantes 2018. Assinatura do Protocolo com a Fundação Serralves. Maria do Céu Albuquerque e Ana Pinho

O secretário de Estado prevê um pacote de 600 milhões de euros a acrescer para os municípios, sendo para a região Centro, na qual Abrantes se inclui, “mais de 230 milhões de euros” para centros escolares, centros de saúde e recuperação do património.

O governante felicitou ainda Abrantes por ter escolhido como tema para o Dia da Cidade, a Cultura. Porque, segundo Carlos Miguel, “tem cada vez mais peso na vida das pessoas” sendo a Cultura que diferencia um território.

Regista-se “naquilo que um município consegue investir na preservação dos seus valores culturais e na visão e investimento em captar novos valores culturais” sendo esse “o caminho que os município estão a descobrir”, frisou, considerando o protocolo assinado com Serralves “muito importante” por ser “uma marca nacional”.

Funcionários da Câmara Municipal e dos Serviços Municipalizados homenageados no Dia da Cidade de Abrantes que celebram 25 anos de serviço e também aqueles que se aposentaram.

Durante as cerimónias do Dia da Cidade foram também homenageados os trabalhadores da Câmara Municipal e dos Serviços Municipalizados que celebram 25 anos de serviço e também aqueles que se aposentaram. Em nome dos órgãos eleitos, a presidente Maria do Céu Albuquerque dirigiu-se a todos agradecendo o trabalho empenhado de cada um a favor da causa pública, e afirmando ser “um privilégio por podermos contar com o vosso empenho, com a vossa dedicação”.

Cerimónias do Dia da Cidade de Abrantes 2018.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -