Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Escola de Afetos” em Constância de 9 a 13 de maio

A visão de uma “Escola de Afetos” vai ser apresentada em Constância na sexta-feira, dia 13 de maio, pelas 14:30 horas, e terá lugar na Casa Memória de Camões com a Tertúlia “À conversa com…”, tendo como intervenientes os médicos Cristina Valente e Mário Cordeiro, no âmbito de um série de atividades que vão decorrer entre os dias 9 e 13 de maio..

- Publicidade -

Pretende-se que o momento permita refletir sobre o tema dos Afetos e a sua importância no desenvolvimento humano e em especial dos jovens.

Esta iniciativa decorre no âmbito da Semana “Escola de Afetos”, promovida pela Unidade de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Médio Tejo, em parceria com a Câmara Municipal de Constância e o Agrupamento de Escolas de Constância.

- Publicidade -

Durante a Semana “Escola de Afetos” (9-13 de Maio) serão dinamizadas um conjunto de atividades entre as quais uma exposição de trabalhos, das 9:30 às 17:30, na Casa Memória de Camões, realizados por alunos das Escolas da área geográfica do ACES Médio Tejo sobre o tema dos Afetos.

No dia 11, quarta-feira, a partir das 14:00 horas, será representado pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Constância um teatro itinerante nas ruas da Vila de Constância  intitulado “Tomem Lá do Camões” e destinado apenas a alunos inscritos.

A participação nas atividades da Semana “Escola de Afetos” é gratuita, sendo que por questões logísticas de gestão do espaço, para assistir à Tertúlia é necessária inscrição prévia, que deverá ser feita para o email escoladeafetosconstancia@gmail.com, devendo apenas identificar-se, e manifestar a sua intenção de presença.

 

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome