Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Especial Mação | Retrato das Freguesias: Envendos

No âmbito da Feira Mostra, este ano na sua 24ª edição, o mediotejo.net visita o Concelho de Mação, dando a conhecer um pouco da história de cada uma das 6 freguesias que o compõem.

Envendos tem como vizinhos as freguesias de Mação Penhascoso e Aboboreira a oeste, Carvoeiro a norte, Belver (do concelho de Gavião) a Sul, São Pedro do Esteval (do concelho de Proença-a-Nova) a nordeste e Amieira do Tejo (do concelho de Nisa) a sudeste.

A fundação de Envendos dever-se-á aos Cavaleiros Hospitalários (com o nome oficial de ‘Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta’, mais tarde denominados ‘Ordem de Malta’).

Existem vários vestígios da fixação romana no local, existindo ainda duas pontes que o testemunham: as de Vale da Mua e de Pracana (Ladeira). Foram descobertos aglomerados populacionais e peças de cerâmica associadas às actividades desenvolvidas – pesca, agricultura e exploração de minas.

Ponte da Ladeira
Foto: DR

O Foral de Envendos foi concedido em 18 de Maio de 1518 pelo Rei D. Manuel I, em conjunto com Cardigos, Carvoeiro e Belver (freguesia do Concelho de Gavião). Envendos, com apenas uma freguesia, foi vila e sede de concelho até 6 de novembro de 1836. No ano de 1847 foram extintos os concelhos considerados a essa altura de menor importância e incorporados noutros, onde permanecem até esta data, no caso de Envendos e Carvoeiro, que passaram a pertencer ao concelho de Mação.

O topónimo ‘Envendos’ poderá ter origem na contração dos termos “Em –  Os – Vendo”, aludindo à paisagem que se avista. Concorda com esta teoria Manuel de Jesus Martins na sua ‘Pequena Monografia de Envendos’ – “Como está situada numa planície, cercada de serras e montes por todos os lados, com lindas vistas das seis entradas ou portelas que tem, não me repugna nada”. Seguindo outra teoria, também aí citada, poderá ser a derivação do nome ‘Evenandus’, nome antigo de pessoa, que poderia ser de algum senhor dessas terras.

Tem a palavra… Joaquim da Silva, 67 anos, no cargo desde 2013, eleito pelo PSD. Está na Junta de Freguesia desde 1986. Como Presidente do executivo nos mandatos 1992-2001 e 2005-2009. Foi secretário de 1986 a 1991 e membro da Assembleia de Freguesia de 2001 a 2005 e de 2009 a 2013.

O que tem de melhor e de pior a sua freguesia?
O que a Freguesia de Envendos tem de melhor são os acessos, pois estamos perto de tudo; a produção de bom presunto; a boa água e o bom azeite. De pior, o estado de algumas ruas nas aldeias.

Como tem sido a relação da Junta de Freguesia com a Câmara de Mação?
Tem sido boa.

Que dificuldades sente na gestão da freguesia?
A dificuldade tem a ver com a questão monetária, pois as verbas que a Junta recebe do estado são poucas.

O que é mais gratificante no cargo de presidente de junta?
Poder satisfazer as necessidades das pessoas que habitam nesta freguesia.

Complete a frase: Não gostaria de terminar o meu mandato sem terminar o que comecei, como por exemplo a zona de lazer de Envendos (Piscinas).

Termas da Ladeira
Foto: JF Envendos

Retrato da Freguesia

Orago: Nª Srª da Graça
Localidades: Alpalhão, Avessada, Barca da Amieira, Carrascal, Envendos, Ladeira, Maxial, Rebique, S. José das Matas, Sanguinheira, Vale da Gama, Vale da Mua, Vale de Junco, Vale do Coelho, Vale de Grou, Venda Nova, Vilar da Lapa, Zimbreira, Zimbreirinha.
Área: 92,86 Km2
População: 984 habitantes

Ordenação heráldica do brasão: 16 de Outubro de 1997

Descrição: Escudo de vermelho, ponte de seis arcos de prata lavrada de negro, movente dos flancos e de um contra-chefe ondado de prata e azul; em chefe, cruz da Ordem de Malta entre um cacho de uvas de ouro, folhado de prata e uma abelha de ouro, alada de prata e listada de negro. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: “ENVENDOS”.

Comecei numa das primeiras rádios locais do País, nos idos anos ‘80, passei pelas (então) novas áreas da informática, a par dos estudos da faculdade, e dediquei duas décadas à banca de investimento, até a Troika decidir mudar-me a vida. Troquei a capital por Abrantes e os números pelas letras. Não gosto do acordo ortográfico, continuarei a usar os "P" e dos "C", mesmo que não se leiam. A par da gestão e produção de vários projetos do grupo editorial do mediotejo.net fui desenvolvendo uma receita de compota de pimento que foi premiada em 2017 pela Inov’Linea e dois anos depois abri um espaço de restauração no centro histórico de Abrantes onde sirvo diariamente refeições com dois ingredientes especiais: amor e carinho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome

- Publicidade -