- Publicidade -

Entroncamento | Situação “preocupante” na Escola Secundária com quatro turmas em isolamento (C/ÁUDIO)

Num ponto de situação relativamente à evolução da pandemia de Covid-19 no concelho, o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento admitiu que “o foco que mais preocupa na cidade” diz respeito à Escola Secundária, onde existem quatro turmas em confinamento e outras ainda em avaliação. Em reunião de Câmara, o autarca Jorge Faria admite a possibilidade de haver situações de contágio direto em ambiente escolar. Ao mediotejo.net, confessa que “a prudência aconselhará a que o ensino presencial seja substituído pelo ensino à distância”, embora tal decisão não dependa diretamente da autarquia.

- Publicidade -

“Nós tínhamos a convicção de que não havia situações de contágio direto entre os estudantes no meio académico. Hoje já não podemos dizer isso. Também não podemos dizer exatamente o contrário, porque não é fácil ter ainda essa conclusão, mas a quantidade de casos que estão a surgir na Escola Secundária já não nos permite dizer com toda a certeza que esses casos são todos externos. Já pode haver aqui situações que resultam do contágio entre estudantes, entre estudantes e professores, etc”, disse o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jorge Faria, em sessão do executivo camarário esta segunda-feira.

Na sessão, o presidente do Município fez o ponto de situação relativamente à evolução da Covid-19 no concelho, tendo dado conta de que “infelizmente, a situação no Entroncamento não é melhor do que a situação que vivemos no resto do país”. “É uma situação muito preocupante neste momento e continuamos a ter um número de casos elevados, ainda bastante dispersos pela cidade”, acrescentou.

- Publicidade -

Reunião de Câmara do Entroncamento, 18 de janeiro de 2021, por videoconferência. Imagem: CME

A situação nas escolas é atualmente a que concentra mais preocupação a nível concelhio. Não obstante a existência de “algumas situações pontuais” ao nível do Agrupamento (com duas turmas em confinamento na Escola do Bonito, duas no Jardim de Infância Sophia de Mello Breyer e sem turmas em confinamento na Escola Ruy de Andrade nem da Escola António Gedeão e na Zona Verde), situações essas que “na generalidade, estão bastante controladas”, o autarca admite que “o foco que mais nos preocupa na cidade” é na Escola Secundária.

Com quatro turmas atualmente em isolamento profilático e “mais algumas situações que poderão resultar numa decisão de confinamento de outras turmas”, Jorge Faria admite, em declarações ao mediotejo.net, que “se até agora nós tínhamos a perceção clara de que não havia surtos entre alunos e professores e assistentes operacionais, neste momento já não temos essa perceção”.

Referindo a existência de uma professora infetada e outros dois em isolamentos na Escola Secundária, o autarca deu conta de que esta segunda-feira foram testados 21 docentes, bem como a direção do agrupamento de escolas. Também neste momento “todos os alunos do 9.º ano [da Escola Secundária] já foram testados”.

Em declarações ao mediotejo.net, o presidente do Município do Entroncamento confessa que “as coisas começam a exigir provavelmente o encerramento ou uma mudança para o ensino à distância”, embora tal não dependa da autarquia nem somente do Agrupamento de Escolas, mas sim do Governo – que decidiu manter abertas as escolas, mesmo após a reunião do Conselho de Ministros esta segunda-feira.

“A NOSSA SITUAÇÃO NO ENTRONCAMENTO É MUITO PREOCUPANTE”, DIZ AUTARCA

Jorge Faria assume que a situação no concelho é “muito preocupante”, tal como acontece a nível nacional, referindo que “tem havido uma interpretação deste confinamento um pouco aligeirada”. Ao mediotejo.net, o autarca expõe que a expectativa é a de que o número de novos casos “venha a descer e confirme justamente que foi aquele mau momento das festas da passagem de ano, mas é uma situação que infelizmente está a acontecer em todo o Médio Tejo”.

Ainda no concelho, o presidente da Câmara Municipal deu conta da sinalização de um caso positivo de Covid-19 no CERE – Centro de Ensino e Recuperação do Entroncamento, numa das funcionárias da limpeza, na área do não-internamento. “No entanto, a avaliação que o delegado de saúde fez foi a de que (…) não haveria razões para suspender essa atividade do CERE”, referiu o autarca em reunião do executivo.

Também na Câmara Municipal foi detetado um caso positivo num dos membros do executivo, situação divulgada em reunião de Câmara esta segunda-feira. O presidente do Município, bem como o seu chefe de gabinete e outra funcionária realizaram hoje o teste de despiste por aconselhamento do delegado de saúde “que entendeu que deveríamos fazer para validar a situação porque tivemos em contacto com uma pessoa positiva”, referiu o autarca.

Em declarações ao mediotejo.net, Jorge Faria reforça que após a deteção do caso positivo “foram feitos os inquéritos epidemiológicos”, confirmando que está “em isolamento, e estou a trabalhar a partir de casa”.

“Obviamente que hoje em dia nós todos andamos sempre com máscara mas depois há pequenos momentos, ou momento de café ou momento de uma refeição, e há aí alguma fragilidade de contacto, mas foram avaliadas todas as situações pelo delegado de saúde e por isso foram algumas pessoas fazer teste”, explanou o presidente do Município do Entroncamento.

330 PESSOAS VACINADAS NOS LARES DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA

Além da evolução da pandemia, existe também o outro lado: a evolução da vacinação. Este sábado, no concelho do Entroncamento foram vacinados “a grande maioria” dos utentes e funcionários do Lar dos Ferroviários, do Lar da Santa Casa da Misericórdia e do Lar Fernando Eiró.

Lar da Santa Casa da Misericórdia do Entroncamento. Imagem: Google Maps

Em reunião de Câmara, Jorge Faria deu conta de que “só na Santa Casa, já estão vacinadas cerca de 330 pessoas, entre funcionários e utentes”, número ao qual se juntam mais 138 pessoas vacinadas no Lar dos Ferroviários.

Apesar de ter havido pessoas em que a vacina não foi administrada, quer por decisão médica (havendo o entendimento de que a mesma deveria ser aplicada em contexto hospitalar) quer por pessoas que se recusaram a tomar, o balanço do processo é positivo.

“Foi um processo que correu bastante bem e já oficiei a responsável do ACES que falta o CERE e falta também a vacinação do hospital da misericórdia”, disse o autarca, referindo que a resposta que obteve foi a de que “será feita nas próximas semanas”.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou à capital com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).