- Publicidade -

Sexta-feira, Janeiro 21, 2022
- Publicidade -

Entroncamento | PSD insurge-se por vereador do Chega chamar “idiotas” a pais que vacinam os filhos

“Quando dizemos que as pessoas devem ou não devem ser vacinadas, temos de ter competência. Não podemos dizer só por dizer”, defendeu Anabela Carvalho (PSD) em reunião do executivo camarário, referindo-se à vacinação contra a Covid-19. A vereadora social-democrata apelou ao “dever ético e moral” de se informar corretamente os cidadãos, após as declarações de Luis Forinho num vídeo no qual o vereador do Chega chama de “idiotas” aos pais que levam as crianças para levar “uma injeção de um produto experimental”.

- Publicidade -

“O direito à vacinação é um direito universal, gratuito e que corresponde a uma proteção tanto da pessoa que leva a vacina como da saúde pública”, expressou a vereadora Anabela Carvalho (PSD) no período antes da Ordem do Dia da reunião de Câmara do Entroncamento de terça-feira, 4 de janeiro.

Numa intervenção em que começou por congratular a taxa de vacinação contra a Covid-19 de quase 90% no nosso país, “uma das mais elevadas em todo o mundo”, a vereadora social-democrata recordou o início do Programa Nacional de Vacinação, em 1965, expressando a sua importância no combate às doenças.

- Publicidade -

Ainda sem se perceber concretamente qual o ponto da intervenção, a vereadora prosseguiu, recordando como a falta de vacinação fez reaparecer doenças dadas como erradicadas, como é o caso do sarampo. “Comportamentos que metem em causa a saúde pública levam a que estas doenças que já estavam erradicadas há alguns anos voltem a acontecer. (…) As vacinas ajudam a impedir a transmissão de doenças na comunidade e representam uma conquista significativa para a saúde pública”, disse.

“Uma criança não vacinada continua suscetível às doenças e às suas complicações, mesmo tratando-se de uma criança saudável (…) pode falecer. O que aos dias de hoje, no século XXI, não se justifica”, acrescentou, defendendo que os eleitos para a Câmara Municipal, enquanto representantes das pessoas que os elegeram, têm “uma responsabilidade, um dever ético e moral de as informarmos [as pessoas]”.

- Publicidade -

“Não devemos, só porque as pessoas não têm o mesmo pensamento que o nosso, chamar-lhes de idiotas ou dizer que parecem rebanhos”, disse também, sendo interrompida pelo presidente da Câmara, Jorge Faria (PS), que questionou sobre a quem se referia.

Vereadora Anabela Carvalho (PSD) em sessão do executivo camarário do Entroncamento, por videoconferência.

Anabela Carvalho afirmou dirigir-se ao vereador Luis Forinho, que partilhou recentemente um vídeo na rede social Youtube a expressar a sua visão contra a vacinação à Covid-19.

“Foi um vídeo do vereador Luis Forinho a chamar as pessoas que vão ser vacinadas e levam as crianças de ‘idiotas’ e que pareciam que estavam em rebanhos”, clarificou, mostrando a sua indignação com tal atitude. “Isto não está correto”, disse ainda.

ÁUDIO | Intervenção de Anabela Carvalho (PSD) em reunião de Câmara

No vídeo em causa, Luis Forinho admite não considerar a vacina contra a Covid-19 uma vacina propriamente dita mas sim “uma injeção experimental, onde estão a fazer das pessoas cobaias”.

“Estou indignado de ver pais que levam os seus filhos – que nunca foram grupo de risco, seus idiotas – pela mão para serem injetados de produtos químicos, com palhaços a dançarem para distraírem as crianças, como se levássemos crianças para o matadouro. Vergonha para esses pais. (…) Cada um de vocês que leva os vossos filhos como cobaias para o matadouro irá pagar caro”, disse no vídeo, onde assume que o lugar destes pais “é na prisão”.

Na reunião de Câmara de terça-feira, o vereador reagiu às considerações feitas pela vereadora Anabela Carvalho admitindo ter-se expressado “democraticamente” e reafirmando a sua posição contra “esse tipo de injeções”.

“Não tenho que me calar com os meus pensamentos. Acho aquilo que estão a fazer com as crianças terrível. Cada um deve tomar opções, o que eu não acho é que nós devemos pegar nas nossas crianças, que não têm opção, e tomar uma injeção de um produto experimental”, acrescentou.

Vereador Luis Forinho (Chega), em reunião de Câmara Municipal do Entroncamento a 4 de janeiro, por videoconferência.

ÁUDIO | Intervenção de Luis Forinho (Chega) em reunião de Câmara

Perante a situação, o presidente do Município, Jorge Faria, sublinhou não subscrever a visão do vereador do Chega e declarou ser “muito importante que, independentemente daquilo que é a nossa opinião pessoal, respeitemos os outros e procedamos em conformidade com aquilo que são as orientações das autoridades de saúde”.

Abrantina com uma costela maçaense, rumou a Lisboa para se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome