Entroncamento | PSD acusa socialistas de terem “congelado o município”

Foto: DR

O Partido Social-Democrata do concelho apresentou fortes críticas ao executivo socialista e ao orçamento municipal aprovado na passada segunda-feira, dia 31 de outubro. Ao anúncio municipal da aprovação do investimento previsto para 2017, na ordem dos 18 milhões de euros, os sociais-democratas responderam (em comunicado) “O Partido Socialista de Jorge Faria congelou o Município durante três anos e está contente!”.

PUB

A concelhia do Entroncamento do Partido Social Democrata apresentou fortes críticas ao executivo socialista no seguimento da aprovação do orçamento municipal para 2017, na passada segunda-feira. O documento apresenta um valor global de investimentos na ordem dos 18 milhões de euros e foi aprovado por maioria com o voto contra dos sociais-democratas e a abstenção dos bloquistas.

Entre os investimentos previstos no Plano de Desenvolvimento Urbano (PEDU) encontram-se a requalificação em diversos equipamentos e espaços municipais da cidade, a recuperação da Estrada da Barroca e espaços verdes, medidas de eficiência energética, a conclusão da ciclovia e o programa “Estudar na Cidade”. Medidas que o Partido Social Democrata considera espelharem algumas “necessidades dos cidadãos, várias vezes recordadas ao longo dos últimos três anos pelo PSD perante o desinteresse do PS”.

PUB

No comunicado emitido esta terça-feira, a gestão orçamental do executivo socialista é caraterizada como algo “que se repete”, assentando numa técnica “simples e pouco inovadora”. Os sociais-democratas acrescentam que “para compensar as receitas face às despesas inventam-se receitas”, fazendo referência a “loteamentos da década de oitenta parados por desinteresse dos investidores e que já foram usados no último orçamento cujo valor ascende a quatrocentos mil euros”.

O texto continua acusando o presidente da autarquia, Jorge Faria, e os vereadores socialistas Ilda Joaquim, Carlos Amaro e Tília Nunes de terem congelado o investimento durante três anos, negligenciado a limpeza das ruas e a manutenção dos transportes urbanos, provocado a exaustão dos serviços ao restringir as compras municipais e aumentado a insegurança das escolas e sobrecarregado os funcionários destas ao não admitir pessoal.

PUB

Outras críticas apontadas são o não pagamento de horas extraordinárias aos funcionários do município, o “abuso” das organizações do concelho para a promoção de “escassos momentos de cultura”, assim como o cancelamento dos programas de distribuição de fruta nas escolas e de apoio à entrada de crianças na rede pública de jardins de infância.

A diminuição do prazo médio de pagamentos de 122 para 71 dias, apresentada no comunicado em que a autarquia anunciou a aprovação do orçamento municipal, é apresentada pelos sociais-democratas como “uma inevitabilidade para quem mantém receitas provenientes do orçamento de Estado, impostos e taxas e não faz despesa” e que teve como resultado o “congelamento do município”.

Uma das empreitadas previstas para 2017 é a construção da estrada “Bonito-Atalaia”, investimento no valor de “75 mil euros” que o PSD alega ter proposto ser substituído pela “aquisição de bibes para todas as crianças do pré-escolar, construção de telheiros nas entradas da Escola António Gedeão e do Jardim de Infância Sophia de Mello Breyner, instalação de sistemas de ar condicionado na Escola António Gedeão e nas salas em falta no Jardim de Infância Sophia de Mello Breyner e ainda para cobertura do campo de jogos da Escola António Gedeão”. A proposta terá sido apresentada durante a discussão do orçamento e chumbada pelo PS e pela CDU.

O comunicado destaca que os restantes investimentos integrantes do orçamento municipal foram aprovados pelo PSD no passado mês de setembro e destaca o facto de não terem sido incluídos “a construção da esquadra da Polícia de Segurança Pública”, a “Biblioteca e Arquivo /Municipal” e a “Escola Camões e os Bairros Ferroviários”. A atribuição de mil e quinhentos euros para a “juventude” é igualmente criticada.

O comunicado da concelhia do Entroncamento do Partido Social Democrata intitulado “O Partido Socialista de Jorge Faria congelou o Município durante três anos e está contente!” termina com a pergunta “afinal quem eram aquelas pessoas a quem a Cidade ia ser devolvida?” e a resposta “Não eram as desta Cidade, de certeza”.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here