- Publicidade -

Sexta-feira, Janeiro 21, 2022
- Publicidade -

Entroncamento | PS refuta acusações de se coligar com o Chega feitas pelo PSD

O Partido Socialista do Entroncamento, através de comunicado, refuta as acusações de ter estabelecido acordos com o partido Chega, que elegeu um deputado para a Câmara Municipal do Entroncamento. Esta demarcação decorre depois da intervenção de David Justino, vice-presidente da Comissão Política Nacional do PSD no programa televisivo “Isto é Gozar com Quem Trabalha”.

- Publicidade -

David Justino referiu no programa humorístico da SIC que, no Entroncamento, “o deputado do Chega chegou a acordo com a Câmara Socialista que não tem maioria” (ver vídeo a partir do minuto 10:30). Esta afirmação decorre de uma intervenção em que o vice-presidente da Comissão Política Nacional do PSD diz que o seu partido tentou aproveitar a coligação no Governo Regional dos Açores entre o PSD e o Chega para vender um “franchising”, cujo primeiro cliente foi o Partido Socialista, que o comprou para o Entroncamento e para Sintra.

Os eleitos socialistas na Câmara Municipal do Entroncamento e a concelhia do Partido Socialista, em resposta através de comunicado, afirmam que “não estabeleceram qualquer acordo com o partido Chega para a governação do Município, pelo que diz serem “falsas” e “sem qualquer sustentação” as afirmações proferidas por David Justino.

- Publicidade -

“Lamentamos que o Sr. Professor David Justino, por quem temos consideração pessoal, profira afirmações cuja veracidade desconhece e recorra a esta forma ligeira de fazer política, no pressuposto de fazer graça”, pode ler-se.

Reunião de Câmara do Entroncamento, 16 de novembro de 2021. Imagem: mediotejo.net

No texto assinado por Jorge Faria (presidente da Câmara Municipal) e por Ricardo Antunes (presidente da Comissão Política Concelhia do Entroncamento do Partido Socialista) é ainda afirmado que “todas as propostas com interesse para a cidade, merecerão sempre o
nosso apoio, independentemente da força política que as proponha”.

- Publicidade -

Também em comunicado, os eleitos do PSD na autarquia da cidade ferroviária dizem que têm observado “atentamente” a evolução da relação partidária entre o PS e o Chega, a qual apelidam de “traquitana”, afirmando os vereadores que “o que é certo, é que todas as questões relevantes para a cidade têm sido propostas pelo PS e viabilizadas pelo Chega”.

O executivo camarário entroncamentense é composto, pelo lado do PS que detém a presidência, por três vereadores (Jorge Faria, Ilda Joaquim e Carlos Amaro), três vereadores do PSD (Rui Madeira, Anabela Carvalho e Rui Gonçalves) e um do Chega (Luís Forinho), pelo que a abstenção deste último possibilita viabilização das propostas através do autarcas afetos ao PS, que contam com o voto de qualidade do Presidente.

Os vereadores afetos ao Partido Social Democrata dizem que foi precisamente isso que aconteceu com a “viabilização de mais um vereador socialista a tempo inteiro e a passagem de todas as delegações de competência possíveis para o Presidente”.

“Agora, já sem qualquer pudor, o vereador do Chega votou expressamente a favor do Orçamento 2022” (…) “Aguardamos os próximos capítulos deste relacionamento que, não sendo uma geringonça, é sem dúvida uma traquitana”, conclui o PSD no seu comunicado. 

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo. Ávido leitor, não dispensa no entanto um bom filme e um bom serão na companhia dos amigos.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome