- Publicidade -

Entroncamento | Projeto para antiga Escola das Tílias divide opiniões

A consulta pública realizada na Escola das Tílias esta sexta-feira, dia 9, sobre o futuro deste antigo estabelecimento de ensino dividiu as opiniões entre aqueles que preferem manter a fachada original do edifício intocada e os que defendem uma intervenção mais arrojada. A praça que será criada no local, incluída no projeto que prevê intervenção na chamada “reta dos quartéis”, reuniu consenso e a apresentação ficou marcada pelo anúncio da empreitada na área envolvente ao bairro Frederico Ulrich.

- Publicidade -

O município do Entroncamento promoveu uma consulta pública na antiga Escola das Tílias para falar sobre o futuro deste antigo estabelecimento de ensino e a sua área envolvente, assim como a utilização que lhe será dada após as obras de intervenção. As opiniões da plateia divergiram quanto à remodelação do edifício, mas coincidiram na criação de uma praça pública e na utilização que será dada ao espaço uma vez concluídas as obras.

As propostas de arquitetura apresentadas pelo presidente da autarquia, Jorge Faria, ladeado pelo presidente da Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, Ezequiel Estrada, têm como elemento comum uma cobertura em material transparente que cobre parcialmente o edifício e que se ilumina à noite. O projeto engloba, igualmente, zonas de estacionamento e lazer, das quais se destaca a praça ampla, e dois lotes de habitação com quatro pisos.

- Publicidade -

Jorge Faria apresentou a proposta ladeado por Ezequiel Estrada. Fotos: mediotejo.net

A cobertura foi o elemento que motivou mais intervenções, que ultrapassaram a dezena, oscilando entre quem concordasse a cem por cento e quem a comparasse a “um novo [hipermercado] Continente”.

A sugestão de se lançar um concurso de ideias a nível local para a arquitetura do edifício foi avançada por diversas pessoas, à qual se juntou as da colocação de uma estátua alusiva à juventude e a criação de um espaço infantil, ambos na praça.

O consenso surgiu nas hipóteses avançadas para a futura utilização da antiga Escola Industrial, transformando-a num Centro de Juventude (a alternativa mais destacada), um espaço dedicado às artes e/ou um Núcleo Museológico dos Fenómenos e do Insólito.

Uma conjugação das memórias com o futuro, conceito que esteve presente ao longo de toda a apresentação e confirmado por Jorge Faria no final da consulta pública.

Algumas das propostas apresentadas pelos arquitetos. Fotos: mediotejo.net

Em declarações ao mediotejo.net, o presidente da Câmara Municipal defende que este projeto contribui para a melhoria de vida na cidade e será um “espaço de criatividade e inovação para que os jovens possam singrar nas suas carreiras, desenvolver as suas iniciativas e darem contributos para a sociedade”.

As hipóteses de utilização podem “trabalhar em conjunto” na medida em que estão a ser combinados três “aspetos fundamentais”.

O presidente avançou que o projeto da praça pública está a ser ultimado e se encontra “praticamente fechado.

A requalificação urbanística integra um projeto global que inclui uma intervenção na Rua Ferreira Mesquita, nomeadamente ao nível do saneamento, salientando que “aí projeto ainda não está tão desenvolvido”, mas que a autarquia pretende avançar com candidatura “logo que tenhamos condições (…) porque teríamos interesse em conjugar a intervenção na Rua Ferreira Mesquita também com uma intervenção que está acordada, prometida pelas Infraestruturas de Portugal”.

A consulta pública realizou-se na antiga Escola das Tílias. Fotos: mediotejo.net

A data pretendida para o início das obras com um custo na ordem dos 700.000€ a 750.000€ será ainda este ano. No que respeita ao projeto relativo ao edifício da antiga Escola das Tílias, Jorge Faria referiu que “não está fechado”, pelo que se aceitam sugestões da população que podem ser enviadas por e-mail para a Câmara Municipal. Neste caso, o início da empreitada está previsto para o primeiro trimestre de 2019.

Outra novidade da noite desta sexta-feira envolve a zona envolvente do bairro Frederico Ulrich e, segundo o autarca, a intervenção permitirá “«desguetizar» o bairro”, tornando-o “mais aberto”.

Jorge Faria salientou ainda a criação de “infraestruturas que melhorem aquela área, não só do bairro, como da Rua Alexandre Herculano, da Rua General Humberto Delgado e do parque do Bairro 25 de Abril”.

O arranque das obras poderá ocorrer no final de 2018 uma vez que o projeto de arquitetura já está a ser desenvolvido.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).