Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Dezembro 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Entroncamento | Parque Empresarial com ligação direta à rede ferroviária e projeto para nova estação dá “passos seguros”

O ramal rodoferroviário de ligação do novo Parque Empresarial do Entroncamento à infraestrutura ferroviária nacional está mais perto de se tornar realidade após a assinatura esta quarta-feira, 24 de novembro, do acordo entre as Infraestruturas de Portugal e a O.J.E. Logistics Entroncamento. Além deste projeto, que vai permitir expedir e receber mais de dois mil comboios nos próximos quatro anos, o vice-presidente do Conselho de Administração da Infraestruturas de Portugal anunciou também que está “a avançar em passos seguros” o projeto para a reformulação da estação ferroviária do Entroncamento.

- Publicidade -

“Estes projetos nascem do sonho do senhor presidente de Câmara, que nos desafiou há algum tempo para criar aqui uma área empresarial que pudesse criar emprego, desenvolvimento económico”, começou por lembrar o vice-presidente da Infraestruturas de Portugal, Carlos Fernandes, na cerimónia de inauguração do novo Parque Empresarial do Entroncamento.

- Publicidade -

Um ano após o lançamento da primeira pedra deste investimento de quase dois milhões de euros (1.9 ME), o novo espaço empresarial do concelho foi inaugurado a 24 de novembro, no dia de aniversário do concelho. Subconcessionado pela IP ao Município do Entroncamento por 75 anos (renovável por igual período), o espaço com cerca de 20 hectares e 160.000 m2 de área útil tem já apenas um dos 16 lotes disponível para alocar (14 já estão entregues a empresas e um reservado para a autarquia construir aí no futuro novas oficinas).

“Esta infraestrutura tem gás natural, fibra ótica, energia de média tensão. Excelentes acessos – que vão ser melhorados com mais uma parceria com a IP e a Câmara de Torres Novas, porque estamos numa fase final do projeto da nova ligação das áreas empresariais dos Riachos e do Entroncamento à A23”, disse no momento o presidente da Câmara do Entroncamento, Jorge Faria, admitindo a “realização de uma ambição” que vai permitir “a criação futura de valor e postos de trabalho. Não só vai permitir que pessoas que hoje se deslocam para fora do concelho possam encontrar aqui trabalho como a vinda de novas pessoas”.

PARQUE EMPRESARIAL VAI SER LIGADO À REDE FERROVIÁRIA NACIONAL

O momento alto da cerimónia de inauguração do novo espaço empresarial do concelho foi precisamente a assinatura de um acordo entre a Infraestruturas de Portugal, S.A., e a O.J.E Logistics Entroncamento, SA, para a construção do ramal rodoferroviário de ligação do parque à infraestrutura ferroviária nacional (que levou anteriormente a Câmara Municipal a uma alteração de loteamento para o efeito, conforme noticiado pelo mediotejo.net).

“O sonho não estava terminado com este parque. Havia interesse em ir mais longe ainda e ligar este parque empresarial à rede ferroviária nacional para que se constituísse também como um terminal rodoferroviário e que permitisse receber e expedir comboios para Portugal, para Espanha, para os portos”, admitiu o vice-presidente da IP, Carlos Fernandes.

Na prática, o protocolo celebrado entre a IP e a O.J.E. confere a esta última a responsabilidade de concretizar a empreitada relativa à construção do ramal de ligação do novo terminal rodoferroviário à rede ferroviária nacional (RFN), enquanto a IP fica responsável pela realização das intervenções necessárias à ligação do ramal à RFN, num investimento direto de cerca de dois milhões de euros.

Um investimento que “permitirá a criação de um conjunto de comboios significativos nos próximos quatro anos. Está protocolado que a O.J.E. expedirá e receberá mais de dois mil comboios [2135] nos próximos quatro anos”, acrescentou o responsável da Infraestruturas de Portugal, S.A., exemplificando que tal permitirá retirar das estradas cerca de 100 mil camiões, num contributo para a descarbonização.

PROJETO PARA NOVA ESTAÇÃO DO ENTRONCAMENTO ESTÁ “A AVANÇAR EM PASSOS SEGUROS”

Admitindo a existência de outros investimentos a serem preparados em conjunto pela autarquia entroncamentense, como a requalificação do Bairro do Boneco para a futura instalação de um Centro Ciência Viva ligado à ferrovia, o representante da IP anunciou ainda que está a ser preparado o tão esperado investimento na estação ferroviária do Entroncamento.

“Está já a avançar em passos seguros a reformulação de todo o layout ferroviário na estação do Entroncamento. Vamos instalar sinalização eletrónica, vamos rever os layouts ferroviários, vamos melhorar e aumentar a eficiência de funcionamento desta estação para comboios de passageiros”, assegurou Carlos Fernandes.

“Estamos também já no início da preparação do plano de intervenção naquilo que diz respeito ao edificado, na melhoria em termos de plataforma, passagens superiores”, disse ainda, adiantando que será agendada para breve uma reunião com a autarquia entroncamentense a esse propósito (de recordar que há cerca de um ano foi a própria Câmara  que apresentou um projeto de requalificação da estação ferroviária à IP).

A IMPORTÂNCIA DOS FUNDOS COMUNITÁRIOS PARA A EXECUÇÃO DOS PROJETOS

“É uma grande satisfação vermos obras acabadas e ver fundos comunitários bem aplicados”, admitiu na cerimónia de inauguração do Parque Empresarial do Entroncamento a presidente da CCDR Centro, Isabel Damasceno.

Referindo a “dinâmica muito interessante” de um concelho que “sabe aproveitar a sua centralidade geográfica e sabe ainda aproveitar as parcerias com outros organismos”, a responsável mostrou a sua satisfação por ver o resultado de investimentos nos quais os fundos comunitários foram essenciais. “Estão aqui a construir o presente e o futuro. (…) Estamos perante uma infraestrutura importantíssima para a competitividade, para a dinâmica económica e social do Entroncamento e da região”, disse.

Financiado a 85% por fundos comunitários, o novo Parque Empresarial do Entroncamento recebeu um apoio de 1 milhão e 540 mil euros, com investimento direto da autarquia de 360 mil euros. “Sem eles [fundos comunitários], estes projetos não tinham sido executados”, declarou o presidente do Município.

Também noutras intervenções recentes está presente a importância destes apoios, nomeadamente em empreitadas levadas a cabo no âmbito do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano e que foram igualmente inauguradas no dia do concelho: as requalificações do Espaço Público – Áreas de Reabilitação Urbana 1 e 3, Rua Eng. Ferreira de Mesquita e Praça das Tílias.

A primeira requalificação vem, refere a autarquia, “modernizar uma das portas de acesso à cidade, conferindo-lhe dignidade”, através da construção de um passeio ciclável, da renovação das redes de abastecimento de água, da rede de iluminação pública (que passou a ser subterrânea) e da instalação de gás natural e comunicações. Já a requalificação da Praça das Tílias criou na cidade um novo espaço de recreio, com zonas de estar e de lazer. Obras de um milhão e meio de euros, também com financiamento comunitário no valor de 1.2 milhões.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome