- Publicidade -

Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Entroncamento | Órgãos autárquicos tomaram posse para um ciclo político de “grandes desafios” (C/ÁUDIO)

Avizinham-se “grandes desafios” mas também “grandes oportunidades” para mudar a cidade. É esta a mensagem passada pelo presidente da Câmara Municipal do Entroncamento reeleito, Jorge Faria (PS), na cerimónia de instalação dos órgãos autárquicos entroncamentenses para o quadriénio 2021-2025. Com um executivo onde PS e PSD têm o mesmo número de vereadores, o presidente do Município realça a necessidade de “criar pontes” e encontrar “pontos de entendimento”.

- Publicidade -

Os eleitos para a Câmara Municipal e Assembleia Municipal do Entroncamento fizeram ouvir de viva voz o seu juramento esta quinta-feira, 14 de outubro, na cerimónia de instalação dos órgãos autárquicos para o quadriénio 2021-2025 que decorreu no Cineteatro São João.

Com um executivo camarário onde PS perdeu um vereador, o PSD ganhou um e o Chega entrou nas contas, Jorge Faria, presidente de Câmara reeleito, sublinhou que há espaço para que os eleitos façam “contribuições claras e construtivas” para a ideia que, diz, “deve unir a todos: a comunidade do Entroncamento”.

- Publicidade -

“Temos pela frente um conjunto de grandes desafios mas também um conjunto de grandes oportunidades para podermos mudar a nossa cidade, para poder tornar a nossa cidade mais amiga, com mais qualidade de vida, e sobretudo termos capacidade para reter cada vez mais os nossos jovens”, disse o autarca, admitindo que “é a esse desafio que nós temos de ser capazes de conseguir alcançar” e referindo-se ao conjunto de apoios comunitários em cima da mesa nos próximos anos.

“Estamos neste momento num limiar de um conjunto de oportunidades – estamos no início do próximo quadro comunitário de apoio, estamos num processo muito rápido da aplicação dos fundos do Plano de Recuperação e Resiliência e estamos perante uma grande oportunidade para nossa região que são os fundos da transição justa, associados às alterações climáticas. Tudo isto são desafios que se não tivermos capacidade para os alcançar, eles passam por nós e passam pela cidade”, defendeu Jorge Faria.

Para responder a tempo, o edil diz ainda que é necessário “criar pontes”, tendo adiantado que a nível camarário houve já conversações com o Partido Social Democrata no sentido de “encontrar pontos de entendimento, quer ao nível de negociações particulares quer ao nível mesmo de inclusão de algum vereador no executivo municipal”.

ÁUDIO | Discurso de Jorge Faria, presidente CM Entroncamento:

“Até agora não foi possível avançarmos muito nessa negociação mas nós, face ao resultado eleitoral, entendemos que devemos manter em cima da mesa esse esforço continuado de negociação para em conjunto criarmos uma melhor cidade (…) e para que possamos nos próximos quatro anos trabalhar positivamente para a nossa cidade”, disse Jorge Faria perante os eleitos para a Câmara e Assembleia Municipal no Cineteatro São João, assumindo por fim tudo fazer para “criar mais emprego, mais coesão e novas oportunidades para que as pessoas se sintam bem na cidade”.

LUÍS ANTUNES REELEITO PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL REFERE NECESSIDADE DE DIÁLOGO, COOPERAÇÃO E COMPROMISSO

Com duas listas a votação para a mesa da Assembleia Municipal – uma do PS encabeçada por Luís Antunes e uma do PSD encabeçada por Paula Carloto – os eleitos para este órgão autárquico decidiram manter os mesmos membros da mesa de há quatro anos, com 11 votos a favor da lista apresentada pelo PS, 7 a favor da lista do PSD e 5 votos em branco.

Desta feita, Luís Antunes foi reeleito presidente da mesa deste órgão deliberativo e no seu discurso vincou a responsabilidade de todos os eleitos em “reforçar a confiança no sistema democrático e contribuir para a redução do peso dos indiferentes, dos céticos e dos pessimistas que sustentam o fenómeno do absentismo, que desejamos reduzir significativamente no nosso concelho”.

“Indiferença e ceticismo constituem motores de populismos, carregados de discursos simples e redutores, insuflados de ódio, mas sem sustentação nem viabilidade, próprios de quem nunca terá responsabilidade de governar”, acrescentou Luís Antunes, que deixou claro: “Exige-se-nos inteligência, competência, capacidade de diálogo e abertura, cooperação responsável e compromisso, em torno de estratégias de desenvolvimento e de inclusão que viabilizem o progresso do Entroncamento e qualidade de vida de todos os seus cidadãos”.

O reeleito presidente da Assembleia Municipal referiu ainda no seu discurso que este novo ciclo político da vida do concelho acarreta “muitos desafios difíceis e complexos mas igualmente estimulantes”, enumerando a implementação em curso de “projetos estruturantes” como a recuperação da atividade ferroviária e reabilitação urbana, e sem esquecer as exigências acrescidas resultantes do processo de transferência de competências para a autarquia.

ÁUDIO | Discurso de Luís Antunes, presidente da AM Entroncamento:

A Assembleia Municipal do Entroncamento para os próximos quatro anos conta com oito eleitos do PS, 7 do PSD, 3 mandatos do Chega, e um mandato do BE, CDS e CDU respetivamente.

ELEITOS PARA OS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS NO ENTRONCAMENTO

Câmara Municipal: Jorge Faria (PS), Rui Madeira (PSD), Ilda Joaquim (PS), Anabela Carvalho (PSD), Luis Forinho (Chega), Carlos Amaro (PS), Rui Gonçalves (PSD)

Assembleia Municipal: Luís Antunes (PS), Paula Carloto (PSD), Mário Balsa Gonçalves (PS), Tiago Pereira (PSD), Carlos Monteiro (Chega), Maria Fernanda Alves (PS), Nuno Horta (PSD), Ricardo Antunes (PS), Maria do Céu Carvalho (BE), Rosa Teresa Teixeira (CDS), Susana Vieira da Cruz (PSD), Bruno Melo (CDU), Lúcia Dias Abelha (PS), Fernando Farinha (Chega), Dominique Ventura (PSD), Francisco Velez Gaspar (PS), Leonardo Pinho Rodrigues (PSD), Pedro Gomes (PS), Teresa Lucas (PSD), Carla Sofia Lopes (Chega), Ana Cristina Coelho (PS).

Presidente Junta de Freguesia de São João Baptista – Rui Maurício (PS)

Presidente Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima – Ezequiel Estrada (PS)

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome