- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Novos investimentos podem recolocar Entroncamento como principal centro de manutenção ferroviária do país

O epíteto “cidade ferroviária” ganha nova força no Entroncamento com o interesse de mais empresas desta área em instalarem-se no concelho. Desta vez, a intenção é da empresa GMF – Railway Maintenance que, apesar de ainda não ter um projeto definido, prevê a criação de cerca de 40 postos de trabalho. A Câmara mostrou-se favorável à pretensão da empresa, considerando o investimento de interesse público.

- Publicidade -

“Há um acordo de princípio com o promotor que, a ser aprovado este investimento, haverá uma comparticipação da parte deles na construção da infraestrutura de acesso que é partilhada com a infraestrutura de acesso ao loteamento municipal que desenvolvemos para a instalação de outras unidades económicas ou sociais – é o arruamento entre o Bairro Camões e o campo dos ferroviários”, começou por dar conta em reunião do executivo camarário neste mês de novembro o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento.

Referindo que esta área oficinal de manutenção ferroviária terá que ser construída dentro da zona das linhas ferroviárias, o edil explicou as questões que se levantam para a futura instalação da empresa (atualmente, ainda somente uma intenção e sem projeto e montantes de investimento bem definidos), nomeadamente a necessidade de suspender o Plano Diretor Municipal – algo que será feito pela segunda vez em oito anos e que levou o vereador do PSD Rui Madeira a pedir cuidado.

- Publicidade -

“A suspensão do PDM é algo que se deve fazer de forma excecional, senão também não fazia sentido a sua existência. O PDM é um instrumento fundamental para o ordenamento do território, está em fase de melhoria e consideramos que devemos ter alguma atenção sobre este aspeto”, disse.

ÁUDIO | Rui Madeira (PSD) pede atenção quanto à suspensão do PDM

Com os votos favoráveis dos eleitos do PS e Chega e abstenção dos vereadores do PSD, foi deliberada a proposta de considerar o investimento da GMF – Railway Maintenance como de interesse público, bem como o indeferimento de um pedido de informação prévia, ao qual se seguiu a aprovação que dá início ao processo de suspensão do Plano Diretor Municipal em vigor para a zona onde a empresa se pretende instalar, nos Casais Formigos.

Reunião de Câmara do Entroncamento, 2 de novembro de 2021. Imagem: mediotejo.net

“Na realidade, esta iniciativa da GMF parece-nos importante, é algo que vem na linha da tradição daquilo que é o setor de atividade económica característica do Entroncamento. Parece-nos importante também como uma medida de renovação económica e social – vai ajudar com certeza na renovação do tecido económico e social”, disse Rui Madeira (PSD) que acrescentou ainda não haver “uma noção nem informação nem dados de detalhe sobre esta iniciativa” pelo que “para podermos tomar uma decisão excecional (…) com razoabilidade, baseada em dados, sugerimos que deveríamos fazer uma reunião com os técnicos para podermos ficar a conhecer melhor este projeto”.

O vereador social-democrata solicitou ainda a retirada do ponto, com a argumentação a ser reforçada por Rui Gonçalves (PSD), que, deixando claro que “ninguém está contra o investimento”, sublinhou uma votação “um bocadinho no escuro”.

ÁUDIO | Rui Madeira (PSD) lê declaração de voto

Em reação, o presidente da autarquia entroncamentense, Jorge Faria (PS), considerou que o processo veio a reunião de Câmara “de forma estruturada”, rejeitando a retirada do ponto da Ordem de Trabalhos e elucidando ainda que este será um assunto a vir à autarquia mais vezes.

“Estamos disponíveis para partilhar com os senhores vereadores aquilo que são as intenções”, disse ainda o edil, admitindo que não é de “ânimo leve” que recorre à suspensão do maior instrumento legal de ordenamento do território do concelho – processo que demorará no mínimo seis meses até à sua efetiva suspensão.

ÁUDIO | Jorge Faria (PS) responde à intervenção do vereador Rui Madeira (PSD)

Com uma série de investimentos na ferrovia a nascerem no concelho, do qual o mais recente exemplo é o da instalação da MEDWAY – Transporte & Logística numa unidade arrendada mas já com projeto para construção de uma nova oficina de manutenção, o presidente do Município do Entroncamento admite existirem “expectativas muito sólidas de podermos ter outros investimentos na cidade na área ferroviária, de tal maneira que a concretizarem-se voltaremos a ser, sem margem para dúvida, o principal centro de manutenção ferroviária do país”.

De referir também que, no âmbito da questão ferroviária, vai este mês ser assinado um protocolo entre a Infraestruturas de Portugal, S.A., e a O.J.E. Logistics – Entroncamento, S.A para a construção de um ramal ferroviário que vai ligar o Parque Empresarial do Entroncamento à estrutura ferroviária nacional.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome