Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sexta-feira, Maio 14, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Entroncamento | Município avança com sistema de bicicletas partilhadas na cidade (C/ÁUDIO)

Cerca de 70 bicicletas e 10 estações vão ser distribuídas pelas duas freguesias do concelho do Entroncamento num investimento na ordem dos 200 mil euros. A Câmara Municipal aprovou a aquisição do sistema de bicicletas partilhadas e aposta na modificação dos hábitos de mobilidade das pessoas dentro da cidade.

- Publicidade -

Com a luz verde de todos os membros do executivo camarário relativamente ao caderno de encargos e outros componentes do processo, a Câmara Municipal do Entroncamento vai ultimar até ao final do mês de abril o projeto relativo ao sistema de bicicletas partilhadas na cidade para formalizar uma candidatura Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), no sentido de conseguir obter cofinanciamento do mesmo. Após a submissão da candidatura, o presidente do Município, Jorge Faria (PS), admite avançar de imediato com o lançamento da empreitada de aquisição do sistema de bicicletas partilhadas.

Numa lógica de avançar desde o início com “uma rede com alguma densidade, para promover a procura por parte das pessoas”, a ideia passa por disponibilizar, para já, cerca de 70 bicicletas – elétricas e não elétricas – ao longo de dez estações distribuídas pela cidade.

- Publicidade -

Áudio | Presidente da CM Entroncamento sobre sistema de bicicletas partilhadas

A proposta prevê a criação de dez estações para as bicicletas, nomeadamente junto à Escola Ruy D’Andrade, junto ao Tribunal, na Praça da República, na Praça Salgueiro Maia, junto ao Centro Cultural, também na zona do Museu Nacional Ferroviário, do Centro de Saúde, da Escola Secundária, na zona do Ice Cream e à entrada do Bonito.

Com um investimento de cerca de 197 mil euros no que respeita à aquisição de bicicletas e de 41 mil euros no que concerne às obras das estações – que implicam a existência de ligações elétricas de comunicações – o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento sublinha que esta é uma aposta clara na “modificação dos hábitos de mobilidade das pessoas na nossa cidade”. “Achamos que temos condições para ir gradualmente contribuindo para a alteração de alguns comportamentos”, acrescentou.

Jorge Faria admite que a autarquia está também consciente para as questões de vandalismo que possam vir a ocorrer, sobretudo numa fase inicial, e que farão com que “pessoas que por vezes não têm visão estratégica digam que estamos a deitar dinheiro para a rua”.

Do lado do PSD, o vereador José Miguel Baptista afirmou o apoio a esta proposta, defendendo que esta é uma “lógica de mobilidade que o Entroncamento tem que propiciar”.

Já Henrique Leal (BE), refere não só as “condições geomorfológicas muito adequadas a este meio de transporte” do concelho mas também a “imensa tradição das bicicletas” na cidade.

“Para além das questões ambientais e da promoção de um meio de transporte limpo e que faz bem ao físico, acho que estamos a corresponder”, acrescentou.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

3 COMENTÁRIOS

  1. Ou há alguém a ser muito benificiado neste negócio, ou então, tendo em conta que o valor unitário de cada bicicleta é mais de 2800€, é bom que as guardem muito bem guardadas, que é pra elas não evaporarem…

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome