Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Setembro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Entroncamento | Mais de 1 milhão e 600 mil euros para criar novo Parque Empresarial

Está tudo a postos para o lançamento do concurso para a empreitada do Parque Empresarial do Entroncamento, no Casal Vidigal, junto à atual Zona Industrial, que se encontra ocupada quase na sua totalidade. Na reunião extraordinária de Câmara do dia 10 de dezembro, foi aprovado por unanimidade o procedimento e a abertura do respetivo concurso público que tem como valor base 1 milhão e 663 mil euros.

- Publicidade -

Este Parque Empresarial, explica a autarquia, “é um dos projetos que se destaca no Plano Plurianal de Investimentos e uma forte aposta do Município na criação de um espaço estruturado e dotado das infraestruturas adequadas à fixação da generalidade das atividades económicas, tendo em conta a localização geoestratégica privilegiada do concelho”.

Trata-se de “um investimento que dá corpo à estratégia do Município de fomento da atividade empresarial a desenvolver nesta infraestrutura e que naturalmente, irá alavancar o desenvolvimento local e regional, promovendo a atratividade do concelho, a economia local e a criação de postos de trabalho”.

- Publicidade -

Nesta fase, os primeiros quatro lotes do novo Parque Empresarial, totalizando 46 mil m2, cerca de 30 por cento da área total, já estão concessionados a uma empresa ligada à área logística e ao comércio internacional que investir 5 milhões e 459 mil euros. Com esta nova unidade fabril está garantida a criação de 12 postos de trabalho diretos e 60 indiretos.

Através deste investimento fica também assegurada a construção de linha férrea que ligará o Parque Empresarial do Entroncamento à Linha do Norte, o que fará deste parque uma infraestrutura única no contexto regional, realça a autarquia.

Planta do novo Parque Empresarial do Entroncamento. Foto: DR

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome