- Publicidade -

Quarta-feira, Dezembro 8, 2021
- Publicidade -

Entroncamento | Exposição documental inaugurada no Dia do Concelho

A exposição documental “Entroncamento 1965-1975” é inaugurada às 11h30 na Galeria Municipal do Entroncamento esta sexta-feira, dia 24, Dia do Concelho. A mostra temática abrange as presidências de Eugénio Dias Poitout (1962-1974), Fernando Gomes dos Santos (março a dezembro de 1974) e Carlos Pereira Lucas (dezembro de 1974 a dezembro 1976) e fica patente até 7 de dezembro.

- Publicidade -

O município apresenta a seguinte sinopse sobre a exposição que pode ser visitada de terça-feira a domingo, entre as 15h00 e as 19h00:

No ano de 1965, ao reconhecer um grande problema que afetava a população, em particular a circulação de carros, o executivo decidiu passar à execução da obra da passagem de nível. O trânsito chegava a ficar parado quase uma hora à espera que um comboio passasse.

- Publicidade -

Em 1966, Eugénio Dias Poitout foi eleito Presidente da Câmara Municipal do Entroncamento. A obra da passagem de nível foi finalizada no ano de 1970 no seu novo mandato.

O novo corpo gerente de Eugénio Dias Poitout preocupou-se também com a limpeza das ruas. Foi adquirido o primeiro veículo motorizado para os serviços de limpeza. Até aqui a limpeza era efetuada por veículos de tração animal. O Entroncamento entrava numa nova era, a industrialização tornara-se uma nova prioridade nos serviços municipais.

À medida que a população crescia aumentavam as necessidades de acompanhar esse crescimento com novos trabalhos: aumentou-se o Cemitério Municipal, um novo edifício para o Mercado Diário, a construção de mais escolas, pavimentação da zona Sul da vila, entre outros.
Em 1971 o Entroncamento contava já com 11 mil habitantes. No princípio da década de 70 pensava-se já no Bonito como jardim com uma pequena albufeira.

Eugénio Dias Poitout ao atingir 12 anos de mandato foi substituído pelo seu vice-presidente Fernando Gomes dos Santos, oficializado Presidente da Câmara Municipal do Entroncamento em março de 1974.

Com imensos projetos na agenda, tais como, caminho municipal para os Foros da lameira; abertura da Avenida da Estação; eletrificação de ruas e praças; captação de água para abastecer a vila; 1ª fase da construção do mercado; construção do Parque do Bonito, eis que surge a Revolução do 25 de abril de 1974 e com ela, as consequentes mudanças nas autarquias que acompanharam a vida nova do país em todos os setores da vida política, económica, social, administrativa.

No Entroncamento como em muitas autarquias passaram a constituir-se comissões administrativas até às eleições em 1976. A mudança mais significativa a nível das autarquias foi o afastamento das pessoas associadas ao regime de Salazar. Fernando Gomes dos Santos continuou o seu mandato, mesmo na comissão administrativa até fevereiro de 1975, seguindo-se-lhe Joaquim Ferreira Purgatório Júnior apenas em junho de 1975 e Carlos Pereira Lucas, de fevereiro de 1975 a dezembro de 1976.

Neste cenário político destaca-se o afastamento total de seguidores e apoiantes do regime ditatorial. Os Governos Civis chegaram a enviar listagens dos agentes da ex-PIDE, nomeando o documento de Lista de Indignantes. Estas pessoas ficaram sinalizadas em todo o país para não poderem votar em 1976.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome