Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Agosto 3, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Entroncamento: Executivo vai votar gratuitidade das fichas escolares

A reunião da câmara municipal desta segunda-feira, dia 4, ficou marcada pelo anúncio de que no dia 18 de julho, data da próxima reunião, será votada a gratuitidade dos recursos didáticos complementares, como as fichas escolares, para todos os alunos do primeiro ano do primeiro ciclo do ensino básico no concelho. Caso a proposta dos socialistas do executivo camarário seja aprovada, a autarquia complementará o financiamento anunciado pelo Governo no passado mês de março com uma medida que envolve cerca de cinco mil euros.

- Publicidade -

A reunião da câmara municipal desta segunda-feira foi rápida com os 12 pontos da Ordem de Trabalhos a serem conhecidos, aprovados ou homologados sem discussão. No entanto, ficou marcada pelo anúncio do presidente da autarquia, Jorge Faria, de que a representação do partido socialista no executivo camarário apresentará uma proposta na próxima reunião para alargar o financiamento confirmado pelo Governo no passado mês de março aos recursos didáticos complementares, como as fichas escolares.

A medida governamental surgiu no seguimento da proposta de alteração ao Orçamento de Estado 2016 apresentada pelo Partido Comunista Português e assegura a gratuitidade dos manuais escolares aos alunos do primeiro ano do primeiro ciclo do ensino básico. No final da reunião, Jorge Faria disse ao mediotejo.net que, à semelhança da decisão do Governo, a medida é geral e não se limita aos alunos abrangidos pela Ação Social Escolar.

- Publicidade -

Segundo o presidente da autarquia, a proposta tem como objetivo “melhorarmos as condições e o sucesso escolar” e, caso obtenha a maioria de votos favoráveis, o município irá adquirir as “fichas de trabalho dos estudantes”, que serão distribuídas nas escolas juntamente com os materiais escolares financiados pelo Governo.

As contas já foram feitas e os custos envolvidos, na ordem dos cinco mil euros, são considerados por Jorge Faria como “um pequeno esforço que temos a obrigação de fazer em prol dos nossos estudantes”. Um valor que poderá subir no futuro pois o município pretende “acompanhar” a evolução da medida governamental, apresentada como primeira fase com a possibilidade da gratuitidade dos manuais escolares se estender aos restantes alunos do primeiro ciclo do ensino básico.

O anúncio prévio foi justificado por Jorge Faria como um aviso para os pais que, neste momento, se preparam fazer as encomendas dos materiais escolares para o ano letivo 2016/2017. Até dia 18 de julho, as famílias ficam a aguardar o resultado da votação na reunião camarária marcada para as 14h30 que, como sempre, será acompanhada em direto pelo mediotejo.net, minuto a minuto.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome

- Publicidade -