Entroncamento | Estabelecimentos comerciais com novos horários de encerramento

Apesar de não estar incluído na lista dos concelhos de alto risco, o Município do Entroncamento adotou novas regras já a partir desta quarta-feira, com o intuito de prevenir a propagação da Covid-19. Os estabelecimentos têm de fechar portas até às 22h00 e os equipamentos desportivos até às 22h30. Aos restaurantes, é recomendada a não admissão de mais clientes a partir das 22h30.

PUB

Os novos horários de encerramento dos estabelecimentos do concelho do Entroncamento estão estabelecidos num despacho assinado pelo presidente de Câmara Municipal, Jorge Faria, que deu conta em reunião do executivo esta segunda-feira das medidas com as quais a autarquia vai avançar para evitar a propagação da Covid-19 “apesar de o concelho, felizmente, não ter ficado incluído nos concelhos de risco”.

Nesse sentido, desde as 00h00 desta quarta-feira, 18 de novembro, os estabelecimentos comerciais têm de passar a fechar portas até às 22h00.

PUB

Contudo, este horário não é aplicável às exceções previstas na lei, nomeadamente, a estabelecimentos exclusivamente para efeitos de serviço de refeições no próprio estabelecimento, bem como a estabelecimentos de restauração e similares “que prossigam a atividade de confeção destinada a consumo fora do estabelecimento ou entrega no domicílio” (os quais não podem fornecer bebidas alcoólicas no âmbito dessa atividade).

Excetuam-se também do cumprimento deste horário de encerramento os estabelecimentos de ensino, culturais e desportivos; farmácias e locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica; consultórios e clínicas, designadamente clínicas dentárias e centros de atendimento médico veterinário com urgências; atividades funerárias e conexas; estabelecimentos de prestação de serviços de aluguer de veículos de mercadorias sem condutor e de aluguer de veículos de passageiros sem condutor e ainda áreas de serviço e postos de abastecimento de combustíveis.

Também a partir desta quarta-feira, o Município determina o encerramento dos equipamentos desportivos a partir das 22h30.

Quanto aos estabelecimentos de restauração, a autarquia deixa uma recomendação: a de que não sejam permitidas novas admissões ao público a partir das 22h30, “como forma de reforço da prevenção e diminuição do perigo de contágio”.

“Recomendo ainda que todos os operadores económicos e munícipes em geral respeitem e cumpram as normas determinadas pelas autoridades porque desta forma estamos a contribuir ativamente para evitar a propagação da doença e lutar contra esta pandemia”, pode ler-se no despacho assinado por Jorge Faria.

Entretanto, na terça-feira, o presidente do Município do Entroncamento anunciou estas mesmas medidas num comunicado à população, em vídeo:

O autarca adiantou em reunião do executivo municipal que esta decisão de fixar horários de funcionamento mais restritivos foi “precedida de um parecer favorável quer da autoridade de saúde quer da autoridade de segurança (PSP)”.

Reunião de Câmara do Entroncamento, 16 de novembro, por videoconferência. DR

Jorge Faria sublinha que esta é uma medida com “dimensão simbólica e importante” e que tem como objetivo final que a população mantenha “comportamentos de prevenção no sentido de dar um contributo ativo para a diminuição dos contágios da nossa cidade”.

Tendo também presente que “diariamente saem e entram na nossa cidade muitos milhares de pessoas para trabalhar, o que é um fator acrescido de risco”, o autarca referiu que nesta matéria “todas as iniciativas são de reforçar”. Nesse sentido, têm sido reavaliados e ajustados os planos de contingência para que “se necessário serem acionados, possam responder de acordo com as necessidades atuais, nomeadamente a localização do posto de comando municipal caso seja necessário ativá-lo”.

Recorde-se que no Pavilhão Municipal está designado como estrutura para acolher, caso venha a ser necessário, doentes Covid-19.

Entroncamento fora da lista de alto risco, mas “o cerco vermelho está-se a apertar”

O presidente da Câmara Municipal do Entroncamento mostra-se “contente” pelo facto do concelho que lidera não ter sido considerado na lista de alto risco. A esperança é a de que “na próxima quinzena também não integrar” a lista, mas as atitudes de prevenção são para manter, numa altura em que se verifica uma intensificação de contágios a nível nacional.

“O cerco vermelho está-se a apertar e essa é a nossa realidade”, declarou Jorge Faria em reunião do executivo esta segunda-feira, não escondendo que é preciso ter consciência de que “podemos estar no início de uma fase de Covid-19 ao nível nacional e ao nível do concelho que nos recomende manter ainda com mais atenção todos os comportamentos individuais que levem à diminuição do perigo de contágio” ao mesmo tempo que se mostra importante “continuar intensamente a tomar as medidas quer de prevenção quer de intervenção para evitar e podermos fazer face a situações mais complexas”.

“É importante que tenhamos consciência que podemos estar num limiar de um período de grande dificuldade para todos”, reiterou o autarca, lembrando que é preciso “manter a serenidade”.

No entanto, Jorge Faria referiu que no concelho não existem “muitos casos graves e que necessitem de internamento nos cuidados intensivos”.

Dia do Concelho apenas com comemoração simbólica

Outra das questões abordadas pelo autarca prende-se com as comemorações do feriado municipal, que se assinala a 24 de novembro. Jorge Faria admite que existiam um “conjunto de intenções que fomos deixando cair face à realidade que vivemos” e que neste momento a intenção da autarquia é a de “fazer apenas uma comemoração simbólica”, com a presença de membros do executivo, da mesa da Assembleia Municipal, dos líderes de bancada, dos presidentes de Junta de Freguesia e da Assembleia de Freguesia. Uma ocasião que se vai limitar, segundo Jorge Faria, a intervenções institucionais.

PUB
Ana Rita Cristóvão
Quando era pequena, passava os dias no campo a fazer de conta que apresentava o telejornal. Rumou à capital para se formar em Jornalismo e foi aí que se apaixonou pela rádio. Gosta de abraços e passa horas a ouvir as histórias dos mais antigos. É fã de chocolate, caminhadas sem destino e praias fluviais.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).