Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Entroncamento | Episódios de vandalismo e assaltos preocupam autarquia (c/áudio)

Situações de vandalismo, importunação de idosos e assaltos a residências têm gerado um sentimento de insegurança no concelho do Entroncamento, com a maioria das ocorrências a acontecer na freguesia de Nossa Senhora de Fátima. A autarquia clama por uma intervenção “eficaz e pronta” das forças de segurança, tendo já sido enviada uma missiva para o comando distrital de Santarém da PSP onde é solicitado o reforço do efetivo da esquadra do Entroncamento.

- Publicidade -

“Há evidências que alguns dos autores de algumas dessas ocorrências sejam jovens [entre os 15 e os 17 anos] com ligações às famílias de etnia cigana que habitam nas redondezas”, refere o presidente da autarquia entroncamentense, Jorge Faria, na missiva enviada ao diretor do comando distrital de Santarém da PSP a 8 de julho, onde é exposto que a maioria das ocorrências têm acontecido na freguesia de Nossa Senhora de Fátima, junto ao Bairro Frederico Ulrich.

“É uma situação que tem origens perfeitamente identificadas e neste caso é um grupo de jovens que estão a ser investigados. (…) A dificuldade maior neste momento é que se trata de um grupo de jovens que para os tribunais ainda são menores, para serem institucionalizados são processos que levam tempo”, disse o presidente da Câmara Municipal em reunião de Câmara a 19 de julho, o onde o tema da insegurança foi levantado pelo vereador José Miguel Baptista (PSD).

- Publicidade -

“De todo que isto não é normal. Isto ultrapassou há muito tempo aquilo que é normal”, disse o vereador social-democrata, enumerando um conjunto de ocorrências contínuas junto à Igreja de Nossa Senhora de Fátima. “Ou o Ministério da Administração Interna ou a Polícia de Segurança Pública, com o comando nacional, intervém rapidamente ou estas situações vão-se continuar a repetir porque há uma sensação de impunidade geral que se pode fazer tudo e há um conjunto de pessoas que acham que podem fazer tudo e, portanto, vão continuar a fazer”, afirmou.

ÁUDIO | José Miguel Baptista (PSD), vereador na Câmara Municipal do Entroncamento

Desde situações de vandalismo, importunação a pessoas idosas, assaltos a residências e roubos de veículos, as ocorrências têm gerado “situações de grande insegurança na cidade”, admite Jorge Faria, que apela aos munícipes para que “sempre que sejam alvo dessas situações, façam um esforço e tentem apresentar queixa na PSP”, bem como comuniquem tais situações à Câmara, para o Gabinete de Apoio à Presidência.

Na carta enviada ao comando distrital da PSP, a autarquia refere que a maioria das pessoas, sobretudo as mais idosas – que têm sido o alvo maior dos assaltos e incómodos – não apresentam queixa por receio, para evitar mais incómodos e por “descrença nas autoridades policiais”. Nesse sentido, Jorge Faria defende a necessidade de “uma intervenção diferente” que seja “eficaz e pronta”, de forma a ser reposta a segurança dos cidadãos.

“Solicito igualmente que o comando e o efetivo da esquadra da PSP do Entroncamento seja reforçado para fazer face à situação de insegurança vivida e à dimensão urbana da nossa cidade”, pode ler-se na missiva enviada ao superintendente João Amado, do comando distrital de Santarém da PSP.

ÁUDIO | Jorge Faria (PS), presidente da Câmara Municipal do Entroncamento

No documento foram também enviados exemplos de habitações ou pessoas que foram alvo de alguma ocorrência.

“Não tem havido dispositivo de segurança nas ruas suficiente para acautelar ou dissuadir algumas destas intervenções. Mesmo com um número de efetivos superior estas situações poderiam acontecer, mas provavelmente haveria menos probabilidade de acontecer. É um caso que estamos todos a seguir com muita preocupação”, diz ainda o presidente do Município do Entroncamento que admite que, se não houver resposta à missiva enviada para o comando distrital da PSP, irá enviar o mesmo documento para o comando nacional.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome