- Publicidade -

Sábado, Dezembro 4, 2021
- Publicidade -

Entroncamento | Em 15 minutos, mau tempo levou ao abatimento de cobertura em hipermercado (C/ÁUDIO)

Na noite de ontem, 15 de junho, o cenário vivido na cidade do Entroncamento foi de dilúvio. Chuvas fortes, granizo e vento provocaram entupimento de algerozes e sumidouros, num fenómeno que aconteceu durante sensivelmente 15 minutos, entre as 21h30 e as 21h45.

- Publicidade -

Apesar dos danos causados pelo mau tempo, não se registam feridos, conforme confirmou esta quarta-feira ao mediotejo.net o comandante dos Bombeiros Voluntários do Entroncamento, Rodrigo Bertelo.

No dia de hoje reina a calma, mas ontem foi a tempestade que deixou rasto, num quarto de hora em que “uma forte chuvada acompanhada de granizo e algum vento” se abateram pela cidade e provocaram “inundações em meio urbano bastante rápidas, motivadas pelo entupimento de algerozes e de sumidouros, por causa do granizo que não deixava a água escoar”, conta o comandante.

- Publicidade -

Foram sensivelmente 15 minutos, entre as 21h30 e as 21h45, que o mau tempo tomou conta do concelho, com uma situação mais grave a registar-se num hipermercado do concelho.

“Tivemos uma situação mais grave mas apenas com danos materiais, no hipermercado E.Leclerc, onde houve um abatimento de uma das coberturas de um dos armazéns que inviabilizou a abertura hoje”, elucida Rodrigo Bertelo. Adianta ainda que neste momento o hipermercado está encerrado, “a aguardar a peritagem da seguradora para poderem fazer obras e a reabertura”.

ÁUDIO | Comandante dos Bombeiros Voluntários do Entroncamento

O comandante deu conta de que os bombeiros foram ainda chamados ao centro de hemodiálise mas que, à chegada, foi-lhes indicado que a situação estava resolvida. “Nem chegámos a entrar”, afirma, calculando que a ocorrência terá tido que ver com “algum entupimento de algeroz que obrigou a que entrasse água dentro da estrutura, nomeadamente no teto falso”. Mas “todos os utentes fizeram tratamento e regressaram às suas casas normalmente”, diz ainda.

Afirmando que tanto os bombeiros como os serviços municipais ocorreram às situações e que “conseguiram em tempo útil resolvê-las”, o comandante descreve um cenário atualmente de “acalmia e recuperação” – tendo até ao meio do dia sido chamados para duas situações de algerozes entupidos – mas alerta para que situações destas são cada vez mais passíveis de suceder, nomeadamente devido às alterações climáticas.

“Nesta altura não é hábito isto acontecer. As pessoas também têm de começar a estar preparadas para estas situações porque com as alterações climáticas, principalmente, estamos a começar a passar por um clima um bocado tropical, poderá acontecer isto mais vezes. As pessoas têm de também ser agentes de proteção civil e estarem preparadas para este tipo de situações e colaborarem”, disse Rodrigo Bertelo.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome