Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Entroncamento | Colocação de ecopontos na cidade gera polémica

Alguns dos 74 ecopontos que a Resitejo – Associação de Gestão dos Lixos do Médio Tejo está a instalar no Entroncamento foram colocados nos passeios obrigando a que os peões tivessem de usar a estrada para poderem circular. Esta situação gerou uma série de críticas nas redes sociais e levou o PSD a emitir um comunicado.

- Publicidade -

A Câmara, logo no início da instalação dos novos equipamentos, identificou aquilo que considera serem “algumas anomalias”, mas “diligenciou de imediato junto da Resitejo que procedesse à recolocação adequada à manutenção das condições de transitabilibilidade na via pública, conforme estabelecido previamente”, esclarece a autarquia. Adianta que se prevê que as operações de recolocação, iniciadas na passada semana estejam concluídas durante esta semana e que a totalidade dos 74 novos ecopontos estejam ao serviço da população até ao final da primeira semana de dezembro.

Na segunda feira, dia 25, o PSD Entroncamento emitiu um comunicado onde dava conta de que José Baptista, vereador e líder da concelhia do partido, dirigiu ao presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jorge Faria (PS), “uma missiva em que solicita a reanálise urgente da localização da colocação de alguns equipamentos de lixo doméstico, contentores e ecopontos, que impedem a circulação dos peões nos passeios e que se encontram junto a habitações, num claro sinal de desrespeito pelos cidadãos”.

- Publicidade -

Para José Baptista, “os casos insólitos de colocação de equipamentos de recolha de resíduos sólidos urbanos em zonas da cidade consideradas impróprias, como as paragens de autocarros, não são situações novas, já anteriormente denunciadas e desvalorizadas”.

Considera o PSD, que a empresa Resitejo “ao colocar os equipamentos nos últimos dias nos passeios, impediu a circulação, os quais deixaram de ser transitáveis, demonstrando a autarquia uma total falta de respeito pelas pessoas e de organização do espaço público.”

A Câmara esclarece que “a georreferenciação dos locais de implantação foi fruto de um estudo elaborado pela entidade gestora (Resitejo), aperfeiçoado pelos Serviços do Município com foco na comodidade dos habitantes, otimizando a distribuição de ecopontos em função das densidades populacionais e garantido que a generalidade dos habitantes tem acesso a um ecoponto a menos de 200 metros da sua habitação”.

Foi na semana passada que o Município do Entroncamento iniciou o reforço da rede de ecopontos que serve o concelho. Com este investimento, a população irá beneficiar de um aumento na capacidade de contentorização de fluxos de recolha seletiva, correspondente a 74 ecopontos, salienta a autarquia.

Destaca-se ainda o facto de, com a instalação dos novos equipamentos, “os munícipes do Entroncamento vão poder contar com uma rede de cerca de 212 ecopontos, o que se traduz no rácio de um ecoponto por cada 100 habitantes, o mais elevado do conjunto de Municípios que integram a Resitejo”.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome