Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Entroncamento | CDS corre país de comboio para denunciar falta de investimento na ferrovia (C/VIDEO)

O CDS-PP está a realizar esta terça-feira, um por todo o país, uma ação de “sensibilização e denúncia da situação em que se encontra o transporte ferroviário”, tendo a deputada eleita por Santarém, Patrícia Fonseca, afirmado ao mediotejo.net, na estação do Entroncamento, que o setor “foi um dos mais atingidos pelas cativações da austeridade escondida deste Governo e com investimentos anunciados “que não saem do papel”.

- Publicidade -

Esta terça-feira, vários dirigentes do CDS-PP vão usar a ferrovia para percorrer o país de norte a sul. Vários itinerários diferentes numa ação simbólica para demonstrar o mau estado da ferrovia em Portugal, tendo a deputada do CDS, que também preside à distrital do partido, realizado a viagem entre Santarém e Entroncamento, tendo distribuído esta manhã naquela estação de comboios vários panfletos sobre os problemas da ferrovia. Da cidade ferroviária, Patrícia Fonseca e a comitiva seguiu depois para Portalegre numa automotora a diesel “num dos piores troços da ferrovia nacional” (Linha do Leste).

A deputada do CDS eleita por Santarém fez a viagem no troço Santarém – Entroncamento, e depois entre Entroncamento e Portalegre. Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

“O Governo anuncia investimentos que não saem do papel e o setor foi um dos mais atingidos pelas cativações da austeridade escondida deste Governo”, disse a mediotejo.net, tendo feito notar que “a Ferrovia 2020 só tem executado 15% do previsto”.

Por outro lado, acrescentou, “a EMEF tem falta de recursos humanos e apesar do anúncio de 100 novos trabalhadores, 40 já lá estavam mas eram precários, e grande parte dos restantes são para substituir os que passaram à reforma”.

Dirigentes do CDS-PP distribuíram no Entroncamento vários panfletos sobre os problemas da ferrovia. Foto: DR

A campanha de hoje na região, desenvolvida em conjunto com os distritos de Santarém e Portalegre, contou com a participação do secretário-geral adjunto do Sul, o presidente da concelhia do Entroncamento, de Salvaterra de Magos, e outros dirigentes dos dois distritos.

“Viemos de Santarém até ao Entroncamento de comboio. No fundo o que viemos aqui fazer é uma viagem na mono locomotiva até Portalegre. Viemos denunciar as más condições em que se encontra a ferrovia a nível nacional, no nosso caso, neste percurso que viemos fazer” afirmou, dando conta que “só 15 por cento daquilo que estava previsto no plano Ferrovia 2020 é que está executado”.

“O Governo anuncia milhões em investimento, mas na prática não se vê esse investimento no terreno. O setor dos transportes, nomeadamente a ferrovia, foi o setor em que houve mais cativações por parte deste governo e esses resultados estão à vista, naquilo que são as condições em que os portugueses vivem todos os dias, como a falta de ar condicionado num país que, como é óbvio em agosto, as temperaturas sobem acima dos 40 graus em vários dias… eu própria fiz a viagem no dia 31 de Julho até ao Porto e o comboio chegou ao Porto com mais de 40 minutos de atraso e é isso que, um pouco por todo o país, viemos denunciar”, referiu a deputada.

Entroncamento l CDS denúncia falta de investimento na ferrovia.

Publicado por mediotejo.net em Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

Questionada sobre a estação ferroviária do Entroncamento, Patrícia Fonseca disse que o CDS “já teve iniciativas nesse sentido, já fizemos perguntas ao Governo…. Esta passagem aérea é um problema porque, de facto, as condições não são as melhores, não é coberta, no inverno as pessoas têm que atravessar à chuva, não há passagem para pessoas deficientes”.

Por outro lado, acrescentou, “para além da questão que é muito cara ao Entroncamento, que é a questão da EMEF, que está intimidante ligada com a questão da ferrovia, o Governo ainda recentemente anunciou a contratação de mais 100 trabalhadores para a EMEF, mas aquilo que na realidade acontece é que 40 desses trabalhadores já lá estavam. Eram precários e agora vão ser integrados, portanto são só 60 novos trabalhadores, muitos deles são (das noticias que nós conhecemos) trabalhadores temporários, para além de que há um conjunto elevado de trabalhadores que se vão reformando e aquilo que a própria EMEF e a comissão de trabalhadores denuncia é a falta de conhecimento técnico, de transmissão de conhecimentos, e a falta de meios técnicos e humanos para conseguir a necessária renovação do material circulante”.

CDS-PP correu hoje boa parte do país de comboio para denunciar falta de investimento na ferrovia. Foto: DR

“Em relação à via-férrea, aquilo que está previsto é a renovação de uma grande parte da linha férrea, aliás há aqui um troço no distrito que está previsto na Ferrovia 2020 e que não foi ainda executado”, disse ainda a deputada eleita por Santarém.

“Esse é um problema essencial para o distrito porque sem a renovação das linhas férreas… aliás, as próprias linhas férreas como as catenárias são um dos principais problemas apontados não só aqui no distrito, mas a nível nacional. E depois também temos o problema da velocidade na passagem por Santarém e que os comboios da linha do Norte podem fazer de forma diminuta e que limita muito as condições de viagem”, concluiu.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome