- Publicidade -

Sexta-feira, Janeiro 21, 2022
- Publicidade -

Entroncamento | Câmara denuncia poluição na Albufeira do Bonito junto das autoridades

A Câmara Municipal do Entroncamento apresentou uma participação de ilícito ambiental devido à situação de insalubridade na água da Albufeira do Parque Verde do Bonito. Admitindo desconhecer a origem das águas acastanhadas e espuma abundante, a autarquia considera que o descrito pode consubstanciar a prática de contraordenação ambiental e solicita diligências por parte das entidades competentes.

- Publicidade -

Água acastanhada e espuma abundante expõem a poluição na água da Albufeira do Bonito. A denúncia foi feita à Câmara Municipal do Entroncamento por um munícipe que enviou imagens comprovativas do estado da ribeira da Árgea/Bonito registadas na manhã de 24 de dezembro.

A denúncia da situação foi feita ao Município do Entroncamento a 24 de dezembro por um munícipe. Imagem: CME

A situação motivou já o CDS-PP do Entroncamento a enviar um ofício ao presidente da Câmara Municipal, no qual questiona sobre o conhecimento da autarquia relativamente à situação, apelando pela tomada de ações.

- Publicidade -

Esta quarta-feira, 29 de dezembro, a Câmara Municipal do Entroncamento fez saber que já denunciou a situação às entidades competentes, através de uma participação de ilícito ambiental. Ao mediotejo.net, a vice-presidente da autarquia entroncamentense confirma a participação da ocorrência à Agência Portuguesa do Ambiente, ao Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana de Torres Novas e à PSP, através da Divisão da Defesa do Meio Ambiente.

Na denúncia enviada às referidas entidades, a autarquia admite desconhecer a origem da situação ocorrida e a autoria dos factos, sublinhando que os mesmos “podem consubstanciar a prática de contraordenação ambiental”.

- Publicidade -

“Tratando-se de uma questão de insalubridade e de saúde pública, vem este Município do Entroncamento participar a ocorrência e solicitar as demais diligências”, pode ler-se ainda na denúncia do Município.

Abrantina com uma costela maçaense, rumou a Lisboa para se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome