- Publicidade -

Entroncamento | BE pede atenção para paisagem “deprimente” da rua mais antiga da cidade

O vereador do BE na Câmara do Entroncamento, Henrique Leal, deixou nota em reunião do executivo para “uma das imagens de marca que levam no olhar” aqueles que passam pela cidade de comboio. Referindo-se à Rua Latino Coelho, o vereador bloquista deixou a nota à autarquia para que se tente encontrar formas de alterar uma paisagem que considerou ser “sórdida, antiga e deprimente”. Em resposta, o presidente da Câmara admite que o edificado da Rua Latino Coelho “deve ser preservado” mas admite não ver condições para que o mesmo seja recuperado para habitação.

- Publicidade -

“Quem passa dentro do Entroncamento pela linha férrea, uma das imagens de marca que leva seguramente no olhar é aquele conjunto de casarões velhos e de alguma forma deprimidos naquela que é a mais antiga rua do Entroncamento”, disse o vereador Henrique Leal (BE) na reunião de Câmara de 1 de março. O vereador do BE expôs no período antes da Ordem do Dia uma questão sobre a qual “há muito sinto necessidade de fazermos algo a este respeito e que de alguma forma também incomoda quem passa de comboio e que olha o Entroncamento por aquela montra”.

Referindo-se à Rua Latino Coelho, “seguramente a rua mais antiga do Entroncamento” e paralela à linha do caminho de ferro, o vereador refere que esta “acaba por ser a montra” que veem aqueles que passam na cidade de comboio. Sublinhando que “é óbvio que a Câmara do Entroncamento não se vai substituir aos particulares”, o vereador bloquista apelou a que a Câmara tente “dialogar com eles e encontrar formas de alterar esta passagem sórdida, antiga, deprimente”.

- Publicidade -

Henrique Leal, vereador do BE na Câmara Municipal do Entroncamento. Imagem: Youtube CME

Em resposta, o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jorge Faria (PS), deu conta de que, caso haja condições para avançar com a recuperação, a autarquia tem já “uma base de acordo de princípio com a IP- Património (…) temos uma base estruturada que nos permitirá fechar rapidamente um acordo de subconcessão daquele espaço, que é aquilo que temos feito quer com a Escola Camões, quer com o Bairro do Boneco”.

O autarca admite que o edificado da Rua Latino Coelho “deve ser preservado” mas admite não ver condições para que o mesmo seja recuperado para habitação. “O bairro da Latino Coelho tinha duas alas, a ala sul terá sido demolida talvez há 15 anos e nós entendemos que deve ser preservado mas sendo o núcleo construído que a nosso ver não tem condições para ser recuperado para habitação”, disse.

Por outro lado, o edil aponta que “seria muito interessante” a recuperação dos edifícios, mantendo as suas traças, para a instalação de um “centro de serviços partilhados, devido à sua proximidade da estação e acessos fáceis para quem nos viesse visitar”.

Áudio | Presidente da CM Entroncamento, Jorge Faria, em reunião de Câmara

“É uma ideia que temos vindo a desenvolver”, admite Jorge Faria, acrescentando que recentemente este já reunido com empresários nesse sentido. “E temos disponibilidade para subscrever o tal acordo de subconcessão [com a IP – Património] (…) se houver uma possibilidade de investimento seja por via direta da Câmara seja por terceiros”, reforçou o presidente da autarquia entroncamentense.

Ainda no que respeita à questão da recuperação de bairros da cidade, Jorge Faria adiantou que a autarquia está também a trabalhar no projeto do Bairro Vila Verde, neste caso para habitação. O autarca divulgou que foi já dado “um passo importante” com a inclusão das casas da Vila Verde na estratégia do Governo de reabilitação do edificado público abandonado no final do ano transato, sendo que agora o Município está a “desenvolver os instrumentos necessários”.

“Estamos a concluir nomeadamente a estratégia local de habitação para depois darmos seguimento a um projeto que passará seguramente pela recuperação do Bairro da Vila Verde para habitação”, concluiu.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -