Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Setembro 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Entroncamento assiste a “contenção do crescimento” de novos casos de covid-19 (C/ÁUDIO)

Num ponto de situação feito em reunião de Câmara esta segunda-feira relativamente à evolução da pandemia de Covid-19 no concelho, o presidente do Município do Entroncamento, Jorge Faria, admite a existência de uma “contenção do crescimento de casos positivos” na cidade, não obstante no mês de janeiro se ter verificado uma duplicação de casos relativamente a dezembro. Sem “surtos com especial relevância” ativos, o autarca refere “um conjunto de situações relativamente dispersas” e apela à consciência para que se fique em casa.

- Publicidade -

- Publicidade -

“Temos de ter consciência de que a situação continua muito preocupante e que é importante que todos nós possamos ficar o mais possível em casa”, manifestou o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento em sessão camarária a 1 de fevereiro. “A situação continua muito preocupante a nível nacional e também no nosso concelho, ainda que felizmente temos vindo a assistir a uma diminuição de novos casos no nosso concelho”, disse.

Confessando que “um caso a mais é mais do que seria desejável mas”, Jorge Faria revela que se está a assistir na cidade a “alguma contenção do crescimento dos casos positivos, felizmente”. O autarca refere que, na região do Médio Tejo, o Entroncamento tem verificado “um incremento ligeiramente menor”, cujo aumento foi de 2,4% de dezembro para janeiro.

- Publicidade -

Quanto a situações concretas no concelho, o autarca explana que continua a existir “um conjunto de situações relativamente dispersas”, não havendo atualmente “surtos com especial relevância”.

Reunião de Câmara do Entroncamento, por videoconferência, 1 de fevereiro de 2021. Imagem: Youtube CME

No CERE – Centro de Ensino e Recuperação do Entroncamento, onde havia sido detetado um caso positivo numa das funcionárias da limpeza, conforme divulgado a 18 de janeiro, Jorge Faria refere que a situação “não foi além de um número reduzido e felizmente neste momento as três situações que deram positivas no CERE já estão negativas e está reposta a normalidade”.

No entanto, atualmente a valência de CAO do CERE, relacionada com centro de dia está encerrada. “Não por questões de haver casos de Covid mas por decisão da Segurança Social que determinou o encerramento destas dimensões das instituições durante este período há uma semana para cá”, elucidou o edil.

Já ao nível dos lares da Santa Casa da Misericórdia e do Lar dos Ferroviários, Jorge Faria anuncia que “também não temos tido, felizmente, novas situações positivas”, estando extinto o surto que afetou o Lar da Santa Casa em dezembro passado.

Ao mediotejo.net, o autarca refere a existência atual de uma idosa infetada no Lar da Santa Casa que se deslocou a cuidados de saúde mas que se encontra isolada, no âmbito dos procedimentos adotados pela Santa Casa, em que todos os utentes que tenham de se deslocar ao exterior por motivos de saúde ao regressarem ficam de quarentena, facto que pretende evitar o risco de contágio dentro da instituição.

Jorge Faria relembra que nestas instituições todas as semanas 25% dos funcionários têm vindo a ser testados, tendo até ao momento todos os testados dado resultado negativo ao vírus da Covid-19.

No que toca à vacinação nestas instituições, cuja primeira fase já decorreu e na qual foram vacinados cerca de 500 pessoas entre utentes e funcionários dos lares da Santa Casa, do Lar dos Ferroviários e do CERE, o edil refere que está prevista a segunda dose de vacinação a partir da próxima semana (dia 6 de fevereiro no caso da Santa Casa).

O autarca sublinhou também que está neste momento a ser equacionada a possibilidade dos Municípios colaborarem no processo de vacinação. “Ao nível do CDOS foi solicitado que fossem indicados espaços para isso acontecer”, disse Jorge Faria em reunião do executivo.

O edil manifestou ainda a disponibilidade por parte da autarquia do Entroncamento em mobilizar espaços para fins de vacinação.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome