Sábado, Fevereiro 27, 2021
- Publicidade -

Entroncamento | Aplicação de produtos fitofarmacêuticos nos passeios já começou

A Câmara Municipal do Entroncamento iniciou a aplicação de produtos fitofarmacêuticos nos passeios do concelho esta segunda-feira, após ter recebido luz verde para a sua utilização em dezembro. A erva que grassa na cidade já motivou críticas da oposição em reuniões do executivo e face ao receio associado à utilização de herbicidas, como o glifosato, o vereador Carlos Amaro justifica o procedimento como “um mal necessário”.

- Publicidade -

O impedimento legal da aplicação de produtos fitofarmacêuticos, em 2013, e a declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2015, de que o glifosato – herbicida utilizado para diversos fins, incluindo a limpeza de arruamentos públicos – pode ter efeitos nocivos para a saúde levou muitos municípios a procurar soluções alternativas.

A Câmara Municipal do Entroncamento não foi exceção, tendo testado a utilização de vinagre a 15% e equacionado a hipótese do sal para combater as pragas, doenças e infestantes dos espaços verdes, árvores, passeios e calçadas do concelho.

- Publicidade -

A erva que começou a grassar nos passeios da cidade motivou críticas por parte dos partidos da oposição em diversas reuniões do executivo, mas o assunto pode ter uma solução à vista com a recente autorização para a aplicação de produtos fitofarmacêuticos, recebida pelo município no passado 15 de dezembro.

A aplicação dos produtos fitofarmacêuticos teve início esta segunda-feira. Foto: DR

Em declarações ao mediotejo.net, o vereador Carlos Amaro informou que a aplicação destes produtos teve início na passada segunda-feira. O processo começou antes com a formação de 18 pessoas, adequação das instalações de acordo com as normas legais, contratação de um engenheiro responsável, a compra de dois equipamentos elétricos e a aquisição de proteção individual para os funcionários.

Questionado sobre o receio das populações relativamente aos produtos fitofarmacêuticos, como o glifosato que a Organização Mundial de Saúde declarou como “carcinogénio provável para o ser humano”, o vereador responsável pelo pelouro do Ambiente e Serviços Urbanos assume que o município preferia não recorrer a este tipo de produtos, mas que a sua utilização é “um mal necessário”.

A aplicação dos herbicidas encontra-se a decorrer na freguesia de Nossa Senhora de Fátima e no futuro será alargada à freguesia de São João Baptista. As ruas onde decorrem os trabalhos são identificadas com a colocação de um edital em que estão indicadas as datas de aplicação e os produtos utilizados.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).