Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Enoturismo e internacionalização são apostas da Associação dos Municípios do Vinho

O enoturismo e a internacionalização dos vinhos portugueses são a aposta da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), que apresentou ao ministro adjunto do primeiro-ministro, Eduardo Cabrita, os projetos para 2016.

- Publicidade -

À saída da reunião, em Lisboa, Pedro Ribeiro, presidente da Câmara do Cartaxo e dirigente na AMPV, defendeu que, através do turismo, o setor vitivinícola pode ajudar na sustentabilidade do território e na economia do país.

“Acreditamos que, pela diferenciação da oferta, pela qualidade do território e pela sustentabilidade territorial, o conjunto de turismo de experiência que anda à volta do vinho – a etnografia do folclore, produtos regionais (o pão, os enchidos, as compotas), o cavalo, o touro, todos os desportos náuticos e o património cultural” – podem ajudar a desenvolver o país, afirmou.

- Publicidade -

“Acreditamos profundamente que este setor pode ajudar ao nível das políticas públicas para contrariar este país muito assimétrico, onde dois terços da população ainda se concentram entre a península de Setúbal e a Área Metropolitana do Porto”, frisou Pedro Ribeiro.

Admitindo que os representantes aproveitaram para pedir apoios ao Governo, o autarca sublinhou que também “querem constituir-se como parceiros para assumir responsabilidades num setor em que os municípios têm de ter um papel muito mais forte”.

“Hoje em dia nada é feito sem boas redes de parceria”, afirmou, dizendo estar “convicto de que este trabalho poderá dar bons frutos”.

Em relação aos projetos para 2016, Pedro Ribeiro destacou as iniciativas “Cidade Europeia do Vinho” (título que até fevereiro pertence a Reguengos de Monsaraz) e “Cidade do Vinho Portuguesa” (título atribuído este ano a Lagoa, no Algarve).

O autarca disse ainda que a AMPV congrega cerca de 80 municípios e tem como foco as questões ligadas ao setor vitivinícola e aquilo que ele consegue abranger em outras atividades: turismo, património cultural, sustentabilidade ambiental, produtos locais.

“É um setor muito importante para a economia do país”, defendeu.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome