Terça-feira, Dezembro 7, 2021

Eleições | Direção Nacional confirma Duarte Marques na lista do PSD por Santarém, concelhia diz que decisão é “inqualificável”

O Conselho Nacional do PSD aprovou o nome do atual deputado Duarte Marques nas listas de candidatos às eleições legislativas por Santarém, onde segue em 3º lugar, uma decisão que contraria a indicação da distrital social democrata – que nem sequer o pretendia incluir entre os oito nomes escolhidos. As listas finais, aprovadas na madrugada desta quarta-feira, afastam assim Ramiro Matos e ficam definitivamente constituídas, confirmando ainda Isaura Morais e Cláudia André como cabeças de lista por Santarém e Castelo Branco, respetivamente.

- Publicidade -

Em Santarém a lista do PSD é liderada por Isaura Morais (presidente da CM Rio Maior), seguida por João Moura (presidente da distrital do PSD de Santarém), Duarte Marques, Sónia Ferreira, Rui Rufino, Célia Bonet, João Oliveira, Ana Lúcia Cláudio e Isilda Aguincha. Nas últimas eleições legislativas foram eleitos três deputados por Santarém.

Por Castelo Branco, a lista de candidatos do PSD confirma o nome de Cláudia André como cabeça de lista (vereadora da CM Sertã), seguida de Luís Santos, Carlos Faria e Márcia Nunes.

- Publicidade -

Cláudia André e Isaura Morais, candidatas do PSD por Castelo Branco e Santarém, respetivamente. Foto: DR

Um processo “inqualificável”, diz concelhia de Santarém

A concelhia de Santarém do PSD anunciou entretanto que recusará participar em qualquer estrutura de campanha para as legislativas, alegando ter sido “desconsiderada” pelo presidente do PSD no processo de seleção de candidatos a deputados.

“Tendo em conta a desconsideração da Comissão Política Nacional (CPN) e do Dr. Rio, decidimos por unanimidade não participar em nenhuma estrutura de campanha”, anunciou hoje a Comissão Política Concelhia de Santarém do PSD. Numa declaração enviada à agência Lusa, o presidente da concelhia (e presidente da Câmara Municipal de Santarém), Ricardo Gonçalves, considerou “inqualificável” o processo de seleção de candidatos a deputados e acusou Rui Rio e a Comissão Política Nacional de não terem cumprido as regras que criaram.

A divergência prende-se com a retirada do advogado Ramiro Matos (indicado pela distrital de Santarém) da lista de candidatos para manter o atual deputado Duarte Marques, cujo nome foi defendido por Morais Sarmento.

“Não se percebe como alguém que quer ser primeiro ministro, faz regras que à posterior não cumpre”, afirmou Ricardo Gonçalves, depois de a CPN ter anunciado a lista final de candidatos.

O presidente da concelhia de Santarém acusa ainda Rui Rio de “um desrespeito constante e total por todos os militantes” e de, em vez do “banho de ética prometido”, ter transformado a formação das listas numa “banhada” para manter o seu grupo de apoiantes satisfeito”.

Com estas decisões, considerou Ricardo Gonçalves, Rio “está a trabalhar para transformar o PSD no partido do autocarro (50+1 deputados), e não num partido capaz de dar futuro a Portugal e aos portugueses”.

PSD diz que só há um “paraquedista” nos 331 candidatos a deputados

O secretário-geral do PSD afirmou na terça-feira que, no total de 331 candidatos a deputados do partido, apenas há um “paraquedista”, o líder dos Trabalhadores Social Democratas (TSD), Pedro Roque, que irá na lista de Leiria.

“Destaca-se o facto de todos os candidatos – no total de 331, entre suplentes e efetivos -, apenas com uma exceção, pertencerem aos respetivos distritos, o que constitui um facto inédito, com o qual o presidente do partido se tinha comprometido”, defendeu José Silvano, em conferência de imprensa antes do arranque do Conselho Nacional, em Guimarães, distrito de Braga.

A exceção, apontou, será a do líder da estrutura autónoma dos TSD, um órgão nacional.

José Silvano, natural de Vila Real e que costuma ser candidato por Bragança, vai ser o número dois por Lisboa, com a assessoria do partido a considerar que não se insere na categoria de “paraquedista” por ocupar um cargo nacional, a secretaria-geral do partido.

José Silvano leu depois os nomes dos três primeiros candidatos por cada círculo eleitoral, onde constam alguns vogais da Comissão Política Nacional, como António Topa, número dois por Aveiro, António Maló de Abreu, número dois por Coimbra, ou Ofélia Ramos, número três por Faro.

Foram também confirmados alguns nomes de atuais deputados que são novamente candidatos à Assembleia da República: Duarte Marques, número três por Santarém; Marques Guedes, número cinco por Lisboa; Pedro Alves, número dois por Viseu; ou Emília Cerqueira, número dois por Viana do Castelo.

Questionado sobre a polémica na construção das listas na distrital do Porto – que ameaça votar contra em Conselho Nacional por falta de representatividade de algumas concelhias -, o secretário-geral do PSD desvalorizou. “No Porto, a razão dessa crítica não existe: todos os candidatos do distrito do Porto são do Porto”, afirmou.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Sr. Duarte Marques, o senhor faz parte da nova geração de Políticos Portugueses …

    Por favor, deixe esse velho Partido do PSD, que não vai a lado nenhum e juntem-se a ” NÓS ” … Numa Só Voz… “NÓS CIDADÃOS”

    Nós Cidadãos – Vamos Reformar o sistema político e eleitoral

    4.1— Criar a possibilidade de iniciativa popular de referendo de âmbito nacional, regional, municipal ou de freguesia, para revogação de leis vigentes, iniciativas governativas ou mandatos políticos.

    4.2— Reforço e reformulação da lei da iniciativa legislativa de cidadãos, com a redução do número mínimo de assinaturas necessárias e o alargamento do âmbito de incidência das propostas de lei.

    4.3 — Candidaturas de Grupos Independentes de Cidadãos à Assembleia da República, se cumpridos os critérios legais a estabelecer para o efeito, nomeadamente uma representação nacional mínima, que evite fenómenos de caciquismo local.

    4.4 — Redefinição dos círculos eleitorais, visando aproximar mais os eleitos dos eleitores.

    4.5 — Plataforma digital atualizada em tempo real que promova a transparência da orçamentação e execução das atividades políticas e da contratação de serviços e assessorias por parte de cada político eleito, em prol de uma maior monitorização da atividade política.

    4.6 — Rigoroso Estatuto de Incompatibilidades das pessoas titulares de cargos políticos e de direção da Administração Pública ou do Setor Empresarial do Estado, mais rígido, verificável e sem as habituais exceções, que lhe retiram credibilidade.

    4.7 — Fim dos privilégios injustificados atribuídos a pessoas (ex-)detentoras de cargos públicos e políticos e a responsabilização civil, criminal ou disciplinar do titular de qualquer cargo político, se for inequivocamente comprovada a sua contemporização com atos de abuso das funções do Estado.

    4.8 — Introdução no quadro legal de uma pena política máxima que gradue, para os prevaricadores, a inibição temporária ou vitalícia do exercício de cargos políticos, bem como a ocupação de qualquer função na Administração Pública e entidades relacionadas.

    4.9 — Em suma, defendemos maior participação dos cidadãos, em prol da regeneração do nosso sistema democrático.

    DESTA VEZ… VOTA DIFERENTE… VOTA EM “NÓS CIDADÃOS”.

    “Albert Einstein disse uma vez, ‘ insanidade está em fazendo sempre a mesma coisa, repetidamente e esperando um resultado diferente, ‘

    Acorda Portugal… Juntem-se a ” NÓS ” … Numa Só Voz… Vota em “NÓS CIDADÃOS” ao poder que se lixem os velhos partidos do costume!

    PARTILHEM POR FAVOR…

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome