Eduardo Jorge, tetraplégico, quer entregar-se ao cuidado de governantes como forma de protesto

Eduardo Jorge, tetraplégico dependente de terceiros, com 90% de incapacidade, anunciou que vai estar em frente à Assembleia da República nos dias 1, 2, 3 e 4 de dezembro, deitado numa cama e fechado dentro de uma gaiola, que será aberta somente para permitir a entrada dos governantes convidados, numa “ação de sensibilização” em favor da Vida Independente.

PUB

“Proponho-me a ser cuidado durante quatro dias pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o Primeiro-ministro, António Costa, e ainda o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva. Qualquer ajuda vinda de outra pessoa será recusada”, deu conta Eduardo Jorge, natural de Concavada, e institucionalizado num lar de idosos em Carregueira (Chamusca).

Eduardo Jorge, tetraplégico, quer entregar-se ao cuidado de governantes. Foto: DR

PUB

“Com este meu desafio espero que consigam entender a importância da Vida Independente nas nossas vidas. Verificarão o quanto somos inúteis sem apoio de um assistente pessoal, e desse modo tentar sensibilizá-los para a urgência de o projeto se tornar uma realidade”, escreve Eduardo Jorge, tendo feito notar que “a prometida Vida Independente, criada pelo Decreto Lei nº 129/2017 de 9 de outubro, continua a não sair do papel, pelo que eu, e muitas outras pessoas com deficiência continuamos presos nas nossas casas e em lares de idosos contra a nossa vontade”.

Segundo justifica, “por esta demora em iniciar o projeto-piloto Modelo de Apoio à Vida Independente – passados 18 meses, nada aconteceu -, encontramo-nos profundamente angustiados pela prisão forçada em que nos encontramos, facto que me leva a ser obrigado a tomar esta medida, num derradeiro esforço de mostrar aos nossos governantes a importância da Vida Independente, para cidadãos dependentes como nós”.

Como ativista dos direitos das pessoas com deficiência, e responsável pelo blog tetraplegicos.blogspot.com, e Movimento nas redes sociais “Nós Tetraplégicos”, Eduardo Jorge já realizou e participou em várias ações de sensibilização e protesto, como vigílias em frente à Assembleia da República, uma greve de fome em 2013, e uma viagem de 180 kms, em cadeira de rodas, durante 3 dias, em 2014.

“Apesar de todas estas iniciativas, encontro-me neste momento institucionalizado num lar de idosos por falta de um projeto de Vida Independente em Portugal”, conta o ativista, que descreve a ação anunciada como “uma derradeira forma de sensibilização”.

Durante o protesto de quatro dias, Eduardo Jorge espera ficar “totalmente dependente dos cuidados do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa”, e também do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva. Foto: Jorge Santiago

“Com este meu desafio, que encaro como uma derradeira forma de sensibilização, vão conseguir entender a importância da Vida Independente nas nossas vidas. Verificarão o quanto somos inúteis sem apoio de um assistente pessoal, e desse modo tentar
sensibilizá-los para a urgência de o projeto se tornar uma realidade. Caso recusem, não aceitarei assistência de outras pessoas. Ficarei entregue a mim mesmo como acontece tantas vezes na minha vida, tal como muitos outros, nas mesmas ou mesmo piores circunstâncias que eu. Não poderei alimentar-me, sair, ou virar-me na cama, ou cuidar da minha higiene, entre outras necessidades. Note-se que sou um cidadão com plenas capacidades mentais, e tenho o direito de mostrar a minha indignação, e fazer esta escolha”, conclui, apresentando o plano de cuidados que espera receber das entidades mencionadas e que aqui transcrevemos:

“VOSSO PLANO DE CUIDADOS”:

SÁBADO DIA 01 (A CARGO DO SRº PRESIDENTE DA REPÚBLICA):

Início da ação: 14H00 (deitar-me, o que implica transferir-me da cadeira de rodas para a cama, tirar-me a roupa e posicionar-me na cama em decúbito lateral esquerdo (deixar-me sobre o lado esquerdo do corpo);

18H00 voltar a posicionar-me na cama, desta vez virar-me, e deixar-me sobre o meu lado direito, lavar-me as mãos, e servir-me o jantar que será composto por uma sandes de queijo;

23H00 realizar-me a higiene íntima e posicionar-me em decúbito ventral (de barriga para baixo) e despejar o saco coletor de urina;

03H00 virar-me mais uma vez, desta vez deixar-me virado para o meu lado esquerdo;

07H00 (fim do apoio *) posicionar-me em decúbito dorsal, ou seja deixar-me na posição de costas.

*Como não me assistiu durante a manhã, gostaria de ter o seu apoio também na manhã do dia 04, último dia.

DOMINGO DIA 02 (SERÁ O DIA DE DEPENDER DO SRº PRIMEIRO MINISTRO):

09H30 como um banho está fora de questão, preciso que me apoie na higiene matinal que consiste em lavar-me o rosto, tronco, zonas íntimas e desinfetar o cistocateter que serve de dreno da urina da bexiga, e substituir proteção do orifício que leva a sonda até à bexiga, mudar de roupa, servir-me o pequeno-almoço que será um pacotinho de leite simples, e três bolachas de água e sal barradas com marmelada, despejar o saco coletor de urina e deixar-me posicionado sobre o meu lado direito do corpo;

13H00 lavar-me as mãos, servir-me o almoço que será uma sandes de queijo, depois mudar-me de posição, desta vez deixar-me de costas;

17H00 virar-me para o meu lado esquerdo do corpo e servir-me uma banana como lanche;

21H00 realizar-me higiene geral, virar-me para o lado direito, servir-me o jantar que será uma sandes de queijo;

24H00 virar-me de barriga para baixo, e despejar o saco coletor de urina;

04H00 (última tarefa do dia) virar-me para o lado esquerdo do corpo;

SEGUNDA FEIRA DIA 03 (SERÁ A VEZ DO SRº MINISTRO VIEIRA DA SILVA):

08H00 virar-me de costas, realizar-me a higiene matinal que consiste em lavar-me o rosto, tronco, zonas íntimas e desinfetar o cistocateter que serve de dreno da urina e substituir proteção do orifício que leva a sonda até à bexiga, mudar a roupa da cama e do corpo, e servir-me o pequeno-almoço que será um pacotinho de leite e
três bolachas de água e sal barradas com marmelada, e despejar o saco coletor de urina;

12H00 lavar-me as mãos, servir-me o almoço que será uma sandes de queijo, mudar-me de posição, desta vez virar-me para o lado direito do corpo;

16H00 virar-me para o lado esquerdo, servir-me uma banana como lanche e despejar o saco coletor de urina;

20H00 virar-me de costas, fazer-me higiene, servir-me o jantar que será uma sandes de queijo;

24H00 realizar-me a higiene íntima e posicionar-me de barriga para baixo;

04H00 (último apoio do dia) virar-me para o lado direito e despejar-me a urina.

TERÇA FEIRA DIA 04 (CASO ACEITE, E POR SÓ ESTAR A SEU CARGO DURANTE A MANHÃ DO DIA 01, A ÚLTIMA MANHÃ FICARÁ TAMBÉM POR CONTA DO SRº PRESIDENTE DA REPÚBLICA):

09H00 na impossibilidade de tomar banho, realizar-me a higiene matinal que consiste em lavar-me a cara, tronco, zonas íntimas e desinfetar o cistocateter que serve de dreno da urina, e substituir proteção do orifício que leva a sonda até à bexiga, vestir-me, servir-me o pequeno-almoço que será um pacotinho de leite e três bolachas de água e sal barradas com marmelada, despejar o saco coletor de urina e transferir-me para a cadeira de rodas, dando por encerrada a ação.

Mais uma vez refiro que caso V. Exas se recusem a aceitar o proposto, ficarei totalmente sozinho durante o período assinalado. Gostaria de salientar que não se trata de um ultimato ou chantagem, aceitarei a recusa com naturalidade, pois o que me move é a causa e esta ação é somente isso, mais uma ação”, conclui Eduardo Jorge.

PUB
Gisela Oliveira
Jornalista profissional há mais de 30 anos, passou por vários jornais diários nacionais, nomeadamente pelo 'Diário de Lisboa', 'Diário de Notícias' e 'A Capital'. Apaixonada pela profissão desde a adolescência, abraçou o jornalismo nas suas diversas áreas, desde o Desporto às Artes e Espetáculos, passando pela Política e pelos temas Internacionais. O jornalismo de proximidade surge agora no seu percurso.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).