PUB

Economia | Castelo Branco e Santarém entre as regiões com o imobiliário mais acessível

Nos anos mais recentes, o mercado imobiliário nacional tem sido palco de uma escalada de preços aparentemente sem fim. A contrastar efetivamente com os preços algo acessíveis do início deste século, é hoje mais difícil para a classe média encontrar habitação digna no mercado a preços acessíveis no centro, ou inclusive arredores, das principais cidades do país.

PUB

Com um preço médio de venda que, em agosto de 2020 se fixou nos €341.145, parece cada vez mais provável que uma larga maioria dos interessados comece a ponderar uma alteração mais radical ao seu estilo de vida.

A discrepância de preços entre os quatro principais distritos onde é mais caro comprar um imóvel e aqueles onde o preço é mais acessível é extremamente óbvia. Num extremo, Lisboa vê praticado um preço médio de €541.750 enquanto Portalegre, no extremo oposto, regista €113.215.

Distritos do Interior – Um Novo Fôlego?

PUB

Ao considerarmos que Santarém pratica atualmente um preço médio de venda situado nos €155.292 ou Castelo Branco, fixado em agosto nos €121.945, podemos enquadrá-los como excelentes oportunidades de investimento a usufruir num futuro próximo.

Uma vez que muito tem sido discutido acerca de abordagens eficazes para revitalizar os distritos do interior, fortemente penalizados por um êxodo rural no decorrer de décadas, nunca foi tão provável que ocorra atualmente uma redefinição do modo de vida para milhões de pessoas.

Movidos pela tecnologia e economia de serviços, marcados por uma forte componente digital, fixar empresas e colaboradores no centro de uma cidade deixará rapidamente de ser prioritário. Se tal paradigma ganhar momento, serão seguramente os distritos onde os preços da habitação são mais baixos e onde a qualidade de vida tende a ser incomparavelmente melhor que atrairão mais gente.

Oportunidade em Tempos de Pandemia

Se a pandemia teve um impacto manifestamente negativo na vida de milhões de pessoas, a mesma veio também criar algumas oportunidades que poderão, a médio e longo prazo, revelar-se positivas.

Uma das principais, se não a mais relevante, foi a adoção do teletrabalho. Forçadas a redefinir no que consiste a abordagem à função laboral, muitas empresas conseguiram encontrar num mecanismo que ainda não haviam testado a fundo, uma oportunidade.

Apelativa para empresas e empresários, permitirá também a uma enorme fatia da população que sente o peso dos gastos com a casa, uma oportunidade dourada a considerar.

O Imobiliário Acessível

Os próximos meses e anos serão tempos excitantes se for possível observar uma mudança de paradigma onde a procura aumente exponencialmente no que respeita aos distritos do interior.

Inclusive para aqueles que desejam arrendar, Castelo Branco oferece um preço médio de €402 e Santarém €497, muito distantes dos €1.347 de Lisboa ou €931 do Porto. Em termos práticos, o rendimento disponível das famílias aumentaria em muito sem que tivessem que partir em busca de um novo emprego e das limitadas oportunidades que estes distritos representam em termos profissionais.

Em última instância, o trabalho remoto, em muito impulsionado pelo cenário pandémico, poderá equilibrar algumas das disparidades de preços praticadas no mercado imobiliário, ao mesmo tempo que permitirá a muitos usufruir de uma renovada qualidade de vida em distritos que assim verão revitalizada a sua massa populacional e empresarial.

PUB
PUB
Maria Silva e Sousa
Natural de Tomar, apaixonada por viagens e palavras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).