Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Ecologistas de oportunidade”, por Duarte Marques

No dia do ambiente que se celebrou na última terça-feira dei por mim a pensar, com alguma revolta, no oportunismo político de alguns dirigentes a propósito da emergência climática. Provavelmente alguns dos que agora acordaram para o assunto, são os primeiros a atirar papéis pela janela do carro, que deixam água a correr sem necessidade ou que são incapazes de separar o lixo doméstico.

- Publicidade -

São demasiados os vêem na ecologia uma oportunidade política, porque fica bem e porque finalmente parece dar votos. As questões ambientais e a sustentabilidade não podem ser apenas uma prioridade atual, deve ser sempre um dos eixos centrais da agenda de qualquer governo, partido ou geração. O ambiente não pode ser uma nova prioridade, devia ter sido uma espinha dorsal de qualquer programa político.

Se há partido que tem no seu ADN, e no seu trabalho, a causa ambiental é o PSD e a JSD – apesar de algumas pessoas se esquecerem disso. O tema do ambiente foi sempre central nos programas e ações do PSD, embora não fosse a sua única prioridade. Vejam quem aprovou as primeiras e principais leis de defesa do ambiente, de planeamento e gestão do território, as reservas naturais, o travão do nuclear, a redução dos sacos de plástico, o corte nas rendas excessivas da energia, etc etc. Nomes como Carlos Pimenta, Jorge Moreira da Silva, Carlos Borrego, José Eduardo Martins fizeram muito menos propaganda e muito mais pelo ambiente.

- Publicidade -

Foram jovens dirigentes do PSD que fundaram uma das mais antigas associações ambientalistas portugueses. Foi um Eurodeputado do PSD que fez o principal e o primeiro Relatório do Parlamento Europeu sobre as Alterações Climáticas. Alguns dos melhores exemplos de iniciativas ligadas à sustentabilidade, ao ambiente e à proteção da orla costeira ocorrem em autarquias que são do PSD como Cascais, Maia, Braga ou Ovar só para dar alguns exemplos. Quando o PAN apareceu saudei a oportunidade porque fazia falta um partido ecologista em Portugal. Os Verdes da PCP eram uma fraude política e demasiadas vezes o PSD tinha ficado sozinho nesta causa. Entretanto também já tinha surgido o BE que nos últimos anos tem feito alertas importantes.

Hoje alguns partidos dizem que vão levar para a UE a causa da emergência climática como se fossem ensinar alguma coisa à instituição que mais fez pelo ambiente nos países como Portugal. É à União Europeia que devemos o fim das lixeiras a céu aberto, as principais directivas e regulamentos a proteger o meio ambiente, a proteger as espécies e o território, o REACH, programa LIFE, o financiamento da investigação e investimento nas energias limpas e renováveis, a descarbonização, a promoção da eficiência energética, sem esquecer a liderança política global do combate ás alterações climáticas e o papel nas cimeiras do clima.

O ambiente precisa de todos nós, não apenas de alguns,
Querer mais é bom, dizer que o mundo começou agora é mau!

Duarte Marques, 39 anos, é natural de Mação. Fez o liceu em Castelo Branco e tirou Relações Internacionais no Instituto de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa, com especialização em Estratégia Internacional de Empresa. É fellow do German Marshall Fund desde 2013. Trabalhou com Nuno Morais Sarmento no Governo de Durão Barroso ao longo de dois anos. Esteve seis anos em Bruxelas na chefia do gabinete português do PPE no Parlamento Europeu, onde trabalhou com Vasco Graça Moura, José Silva Peneda, João de Deus Pinheiro, Assunção Esteves, Graça Carvalho, Carlos Coelho, Paulo Rangel, entre outros.
Foi Presidente da JSD e deputado na última legislatura, onde desempenhou as funções Vice Coordenador do PSD na Comissão de Educação, Ciência e Cultura e integrou a Comissão de Inquérito ao caso BES, a Comissão de Assuntos Europeus e a Comissão de Negócios Estrangeiros e Cooperação. O Deputado Duarte Marques, eleito nas listas do PSD pelo círculo de Santarém, foi eleito em janeiro de 2016 um dos novos representantes portugueses na Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, com sede em Estrasburgo. É ainda membro da Assembleia Municipal de Mação.
Sócio de uma empresa de criatividade e publicidade com sede em Lisboa, é também administrador do Instituto Francisco Sá Carneiro, director Adjunto da Universidade de Verão do PSD, cronista do Expresso online, do Médio Tejo digital e membro do painel permanente do programa Frente a Frente da SIC Notícias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome