Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Julho 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“É Natal!”, por Vânia Grácio

Chegou o Natal. Uma época tão desejada por uns, mas não para todos. Há quem não viva o espirito do Natal. Este pode ser o primeiro Natal sem um ente querido, ou é mais um sem essa pessoa. Não tem dinheiro para comprar os presentes que tanto queria dar aos filhos. A boneca que a sua menina pediu todo o ano, ou o carro da polícia que o menino escreveu a pedir ao Pai Natal vão ficar mais uma vez na prateleira do hipermercado. Amealhados todos os cêntimos, não os consegue comprar. Há que escolher entre comprar a comida e pagar as contas, ou comprar os brinquedos. O bom senso ajuda-o a decidir. Esta é também uma época em que nem todos estão em paz. Há conflitos em muitas partes do mundo, pessoas que ficaram sem as suas casas, sem os seus bens, sem parte da sua vida.

- Publicidade -

Durante todo o ano “aquelas” pessoas não nos ligaram a perguntar se tudo estava bem, se continuávamos a ter motivos para sorrir e nestes dias, todos se lembram do nosso número de telefone para mandar um SMS com frases feitas. As redes sociais ajudam a espalhar a mensagem de Natal e todos esquecemos as amarguras do ano que chega ao fim. Ainda bem!

Alguns sentem a necessidade de ajudar os outros, mas só nesta época do ano. Outros fazem-no o ano todo. Mas o importante é a saúde e a paz, o amor e a família. Acima de tudo o importante é o respeito pelo espirito com que cada um encara esta época.

- Publicidade -

Multiplicam-se as ações de solidariedade como se as pessoas só comessem, vestissem ou brincassem nesta época. É a correria aos presentes para comprarmos qualquer coisa que a outra pessoa não vai ligar nenhuma, mas que temos de comprar porque faz parte. Mas depois esquecemos a palavra e o ombro amigo, o estar presente, o fazer parte do dia-a-dia, de partilhar angustias, preocupações, felicidades e coisas boas. Já diz o ditado que “mais vale tarde que nunca”, e há quem de facto se preocupe o ano todo e apenas nesta época consiga vir visitar a família, que só agora consiga estar presente fisicamente, que viva e sinta o Natal com genuinidade.

O meu desejo neste Natal é que todos e todas tenham no sapatinho aquilo que mais desejam e construíram todo o ano. Que a tolerância, a amizade, a partilha, a solidariedade, o amor e o respeito pelos outros se multiplique pelos doze meses do ano. Feliz Natal.

 

Vânia Grácio é Assistente Social e Mediadora Familiar e de Conflitos.
Licenciada em Serviço Social pelo Instituto Superior Bissaya Barreto e Mestre em Serviço Social pelo Instituto Superior Miguel Torga. Pós Graduada em Proteção de Menores pelo Centro de Direito da Família da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e em Gestão de Instituições de Ação Social pelo ISLA. Especializou-se na área da Mediação de Conflitos pelo Instituto Português de Mediação Familiar e de Conflitos.
Trabalha na área da Proteção dos Direitos da Criança e da Promoção da Parentalidade Positiva. Coloca um pouco de si em tudo o que faz e acredita que ainda é possível ver o mundo com “lentes cor-de-rosa”. Gosta de viajar e de partilhar momentos com a família e com os amigos (as). Escreve no mediotejo.net ao sábado.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome