Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Doces de Abrantes adoçam cardápio de Carta Gastronómica do Ribatejo

Foi assinado na sexta-feira o protocolo para elaboração da Carta Gastronómica do Ribatejo, na cerimónia de inauguração da décima quinta edição da Feira Nacional de Doçaria Tradicional, a decorrer até este domingo no Mercado Antigo (antigo mercado diário). Segundo Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro, o que se pretende é “levar mais longe o nome dos territórios e das marcas destas duas grandes regiões”, o Ribatejo e o Alentejo. Este protocolo assinado em Abrantes vem assinalar “uma nova abordagem para um novo tempo turístico”. A doçaria tradicional e conventual de Abrantes brindou a esta aposta.

- Publicidade -

Na abertura da sessão, que assinalou a inauguração a 15ª edição da Feira Nacional de Doçaria Tradicional, Maria do Céu Albuquerque, presidente da CM Abrantes, frisou que a iniciativa vai ao encontro da nova estratégia de promoção do património regional, frisando haver um grande investimento por parte do município que faz esta aposta há 15 anos, “criando condições de afirmação do potencial do nosso concelho e da nossa região no panorama nacional, daquilo que sabemos fazer e tão bem. A palha de Abrantes, as tigeladas, os bolos lêvedos, as broas fervidas, os mulatos, as limas”, enumerou a autarca.

“Podemos contar com um conjunto de doceiros que tem feito um investimento grande na manutenção desta tradição, e para inovar e colocar estes produtos no mercado” e a ideia passa por “colocar a palha de Abrantes e as tigeladas com a marca de Abrantes, à semelhança do que acontece com outros doces no âmbito nacional, como o caso dos Ovos moles de Aveiro. Pretende-se que a palha de Abrantes atinja uma dimensão nacional, a par de outros doces conventuais”, resumiu, fazendo a ponte para a assinatura do protocolo entre as duas entidades regionais de turismo.

- Publicidade -

Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo/Ribatejo, salientou no seu discurso a importância da população local na divulgação do património. “Os primeiros promotores turísticos de um concelho, de um destino, são aqueles que vivem na sua região”, disse o representante, reconhecendo que atualmente o turista é mais difícil de surpreender, por ter mais informação e mecanismos ao seu dispor, alertando que “qualquer ação de desenvolvimento, planejamento, estratégia de marketing, iniciativa de estratégia de estruturação de produto turístico tem de ter por base o turista”.

Para Ceia da Silva “o segredo é ser-se exigente, ter qualidade e ser excelente naquilo que se faz, com humildade, trabalho e paixão”.

Há assim, com a criação desta Carta Gastronómica, uma aposta na promoção de gastrónomo e vinhos da região do Ribatejo, de modo a “referenciar e recolher uma herança que de outra forma se perderia. Certificar os restaurantes, dar qualidade, (…) para que possam melhorar as suas ementas, os seus serviços”, disse Ceia da Silva.

Está prevista a criação de um “guia de restaurantes certificados, que possa ser um elemento ativo para o território, porque muitas pessoas vêm ao território para comer bem”.

Foto: mediotejo.net
Foto: mediotejo.net

Algo com que Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro, concordou, acreditando que esta assinatura de protocolo se resume num bom exemplo de boa gestão direta das organizações em causa.

Segundo o representante do Turismo do Centro, o objetivo é “valorizar o que é nosso, e valorizar os nossos produtos e criar condições para os empresários, doceiros, empregadores tenham melhores condições de vida e de negócio, e possam criar riqueza e que ela possa ser distribuída”.

Pedro Machado usou como exemplo o certame da Feira Nacional de Doçaria Tradicional, enquanto uma forma de valorização da gastronomia regional através da doçaria.

Nesta parceria, o responsável acredita que “o Tejo une o Centro e o Alentejo”, de modo a melhorar a prestação de serviços e a dinamizar o setor.

img_20161028_180427
Mais de 30 doceiros de todo o país e das ilhas estão em Abrantes, em mais uma edição do certame que adoça a cidade desde há 15 anos. Foto: mediotejo.net

E a mostra de doçaria continua…

O certame que lhe permite provar uma das iguarias da doçaria tradicional não só abrantina, como nacional, continua até ao dia de hoje, domingo, com abertura às 14h30.

Esta manhã os Branquinhos do Pedal promovem mais um passeio guiado em BTT ‘Na Rota da Palha de Abrantes’, um percurso com cerca de 25 km. A feira abre portas mais tarde, pelas 14h30.

Pelas 15h00, sobe a palco o Grupo de Teatro Palha de Abrantes para mais uma peça de teatro com os fantoches produzidos pelos alunos de JI e 1°Ciclo do concelho, seguindo-se o Grupo Cénico da SAT pelas 17h30.

O dia termina com atuação musical de Pedro Dyonysyo acompanhado do violinista Ricardo Esteves, às 16h00, e o encerramento de mais uma edição da mostra de doçaria a dar-se por volta das 20h00.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome