Diretora Geral do Património visitou monumentos do Sardoal

Paula Silva, Diretora-Geral do Património Cultural, esteve esta terça-feira, dia 31 de maio, de visita ao Sardoal para se inteirar do património cultural existente na Vila e que carece de algumas intervenções, mostrando-se disponível para colaborar com o Município na valorização dos diversos espaços que representam um grande potencial económico e turístico.

PUB

Mostrar o património da Vila do Sardoal e perceber o que se pode fazer em termos de recuperação do mesmo foi o principal objetivo desta visita da Diretora-Geral do Património Cultural (DGPC), Paula Silva, que surgiu de um convite da autarquia sardoalense.

“Quisemos falar com a Srª Diretora-Geral por causa desta estratégia do património que é importante, para sensibilizar e procurar, em conjunto com a DGPC, formas de recuperar aquele património que é, não só da Câmara, mas também da Santa Casa da Misericórdia e da Igreja, património que é fundamental numa lógica de desenvolvimento económico no turismo religioso e acreditamos que este património, no âmbito do turismo, é também um fator de desenvolvimento económico e de criação de emprego”, explicou Miguel Borges, presidente da Câmara Municipal de Sardoal.

PUB

A visita à Vila do Sardoal, feita a pé, iniciou-se à entrada da Câmara Municipal e teve como primeira paragem a Igreja da Misericórdia onde João Soares, técnico superior de conservação e restauro da autarquia, explicou os principais problemas estruturais e de engenharia que afetam aquele monumento.

Paula Silva foi fotografando os monumentos por onde foi passando no Sardoal. Aqui, na Igreja da Misericórdia (Foto: mediotejo.net)
Paula Silva foi fotografando os monumentos por onde foi passando no Sardoal. Aqui, na Igreja da Misericórdia (Foto: mediotejo.net)

PUB

A Diretora-Geral do Património, acompanhada pelo arquiteto Carlos Bessa, ia ouvindo as explicações e fotografando os espaços por onde foram passando (Igreja da Misericórdia, Igreja Matriz, Casa Grande e Convento de Santa Maria da Caridade).

No interior da Igreja Matriz, Paula Silva salientou que a mesma está a carecer de uma inspeção técnica e solicitou ao pároco que seja enviado para a DGPC um pedido, na sequência desta visita, para se realizar a inspeção que irá avaliar as necessidades de intervenção naquele monumento.

Paula Silva mostrou-se agradada com o que visitou no Sardoal. “Estamos disponíveis para colaborar com o Município na valorização deste património como um recurso, evidentemente o património é essencial para a criação da nossa identidade e a da nossa afirmação, mas também do ponto de vista estratégico económico porque estamos perante uma Vila muito bem conservada, muito bonita e que o turismo procura isso, sítios conservados como o caso do Sardoal”, referiu, em declarações ao mediotejo.net.

A Casa Grande foi um dos espaços visitados por Paula Silva (Foto: mediotejo.net)
A Casa Grande foi um dos espaços visitados por Paula Silva (Foto: mediotejo.net)

“É uma questão estratégica que nós estamos a conversar no âmbito das Comunidades Intermunicipais. Estamos a pensar na possibilidade de valorização deste património, juntamente com os Patrimónios da Humanidade que temos nesta zona e estão sob a responsabilidade da DGPC (Convento de Cristo, Alcobaça e Batalha) e também o recurso estratégico que é Fátima, como itinerário religioso. Este é um conjunto em que Sardoal está no meio e pode ser uma Vila extremamente interessante do ponto de vista deste turismo cultural”, sublinhou Paula Silva.

Numa visita à Casa Grande, ou Casa dos Almeidas, para onde está prevista a criação de um hotel de charme, a Diretora-Geral do Património salientou que “ a casa é muito bonita, o projeto não conheço, mas o Sr. Presidente da autarquia disse que em breve deverá dar entrada na Direção-Geral. Segundo me disseram, é completamente respeitoso em relação ao edifício em si, com a criação de uma zona nova com quartos, o raciocínio e pensamento está bem, que é conservar o existente e construir de novo a parte dos quartos que obriga a um equipamento pesado de infraestruturas que é difícil compatibilizar com o edifício antigo, mas vamos analisar o projeto quando o mesmo der entrada mas acho que o raciocínio e pensamento está muito bem”.

Miguel Borges, presidente da Câmara de Sardoal, explicou à Diretora-Geral do património e ao arquiteto Carlos Bessa, pormenores do projeto de recuperação da Casa Grande (Foto: mediotejo.net)
Miguel Borges, presidente da Câmara de Sardoal, explicou à Diretora-Geral do património e ao arquiteto Carlos Bessa, pormenores do projeto de recuperação da Casa Grande (Foto: mediotejo.net)

Ao mediotejo.net, Miguel Borges, presidente da Câmara Municipal do Sardoal, fez um ponto de situação sobre o projeto da Casa Grande, esclarecendo que “este processo sofreu algum atraso tendo em consideração que será incluído o protocolo que irá à próxima Assembleia Municipal e que prevê que o local onde está a biblioteca seja entregue ao promotor e, em contrapartida, será recuperado pelo promotor o antigo Externato de Sta. Isabel”.

“Já houve duas reuniões entre a autarquia, o promotor e a Direção-Geral do Património, no sentido de ir acompanhando o projeto. O promotor está numa fase final para entrega do projeto para se começar com as obras muito em breve”, acrescentou Miguel Borges.

Para que o processo da Casa Grande avance, está a faltar o parecer decisivo e final da DGP. “Estamos a falar de um edifício classificado e ao longo deste tempo têm sido feitos estudos de arqueologia, de história da arte, de conservação e restauro que são fundamentais para que depois a DGPC possa aprovar o projeto de recuperação da Casa Grande transformando-a num hotel”, sublinhou o presidente da Câmara Municipal de Sardoal.

“Recuperamos um património que está em degradação, não só a Casa Grande mas também o Externato, e ao mesmo tempo oferecemos um equipamento fundamental para a nossa região, que é um hotel que não há com esta capacidade e qualidade”, salientou Miguel Borges, dizendo que acredita que o início das obras naquele espaço esteja para “muito breve”.

PUB
Margarida Serôdio
Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).