Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Julho 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

“Desenvolvimento Rural e Sustentabilidade”, por José Alho

A adaptação do homem à natureza traduziu-se em modelos de utilização do território que condicionaram a economia, a cultura e a organização social das comunidades aí instaladas, originando impactos nos recursos naturais, bem visíveis nas paisagens construídas, na conservação dos solos, nos recursos hídricos e na diversidade biológica.

- Publicidade -

Duma inicial relação de equilíbrio o mundo rural foi evoluindo, de modo a perder terreno no percurso competitivo da sociedade de consumo e tecnológica, transformando-se passivamente em território decrépito, gradualmente despovoado, com rutura dos sistemas ecológicos e sobretudo esquecido pelos decisores políticos e pelos agentes económicos.

No entanto a importância do mundo rural permanece intocável no que representa para a conservação dos recursos naturais e para o equilíbrio e bem-estar da população mesmo para aquela que reside nas áreas urbanas.

- Publicidade -

Não podemos aceitar o mundo rural como território de gente envelhecida, de práticas votadas ao insucesso competitivo, num registo do passado.

Exige-se que seja cenário de novas actividades competitivas ao nível económico, que garantam a gestão sustentável dos recursos naturais e fomentem o povoamento por comunidades completamente integradas na sociedade global, nos domínios do bem-estar social, no acesso à informação e às mais-valias da novidade tecnológica.

O território rural encerra um conjunto de características de grande potencial e bem diversificadas que permitem pensar ainda ser possível a harmonização da relação entre os recursos naturais e a atividade humana.

Esta importância fundamental tem de se afirmar nas novas valências e nas novas oportunidades que se colocam a este território, no que ele significa na relação de harmonia entre a natureza e as pessoas, quer seja como destino turístico, como espaço produtivo no domínio da agricultura biológica e outras atividades económicas menos impactantes, quer como opção de residência com recurso ao teletrabalho, entre outras hipóteses, que hoje em dia são de fácil concretização através das novas tecnologias e dos novos modelos de mercado.

cronica_jose_alho

A evolução da sociedade contemporânea tem afirmado os recursos naturais como factores cruciais nos modelos de desenvolvimento do território e das comunidades, tendo num tempo mais recente tornado evidente a necessidade de uma perspetiva conservacionista e sustentável.

Esta abordagem vem ao encontro do conceito de Desenvolvimento Sustentável construído a partir de convergência das vertentes ambientais, económicas e sociais.

A sustentabilidade da nossa sociedade passa por garantirmos no mundo rural um espaço que para além da marca identitária ofereça oportunidades, permita uma visão com alcance estratégico para a construção de modelos de desenvolvimento alinhados com a construção duma sociedade global mais equilibrada e com esperança no futuro.

José Manuel Pereira Alho
Nasceu em 1961 em Ourém onde reside.
Biólogo, desempenhou até janeiro de 2016 as funções de Adjunto da Presidente da Câmara Municipal de Abrantes. Foi nomeado a 22 de janeiro de 2016 como vogal do Conselho de Administração da Fundação INATEL.
Preside à Assembleia Geral do Centro de Ciência Viva do Alviela.
Exerceu cargos de Diretor do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, Coordenador da Reserva Natural do Paúl do Boquilobo, Coordenador do Monumento Natural das Pegadas de Dinossáurios da Serra de Aire, Diretor-Adjunto do Departamento de Gestão de Áreas Classificadas do Litoral de Lisboa e Oeste, Diretor Regional das Florestas de Lisboa e Vale do Tejo na Autoridade Florestal Nacional e Presidente do IPAMB – Instituto de Promoção Ambiental.
Manteve atividade profissional como professor convidado na ESTG, no Instituto Politécnico de Leiria e no Instituto Politécnico de Tomar a par com a actividade de Formador.
Membro da Ordem dos Biólogos onde desempenhou cargos na Direcção Nacional e no Conselho Profissional e Deontológico, também integra a Sociedade de Ética Ambiental.
Participa com regularidade em Conferências e Palestras como orador convidado, tem sido membro de diversas comissões e grupos de trabalho de foro consultivo ou de acompanhamento na área governamental e tem mantido alguma actividade editorial na temática do Ambiente.
Foi ativista e dirigente da Quercus tendo sido Presidente do Núcleo Regional da Estremadura e Ribatejo e Vice-Presidente da Direcção Nacional.
Presidiu à Direção Nacional da Liga para a Protecção da Natureza.
Foi membro da Comissão Regional de Turismo do Ribatejo e do Conselho de Administração da ADIRN.
Desempenhou funções autárquicas como membro da Assembleia Municipal de Ourém, Vereador e Vice-Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Presidente do Conselho de Administração da Ambiourem, Centro de Negócios de Ourém e Ouremviva.
É cronista regular no jornal digital mediotejo.net.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here