Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Terça-feira, Setembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Deputado socialista Hugo Costa defende segurança rodoviária em intervenção parlamentar

“Defenderemos sempre a segurança rodoviária e não permitiremos que a segurança nas nossas estradas e dos nossos filhos ou filhas seja colocada em causa”, disse o deputado do PS Hugo Costa, eleito na Assembleia da República pelo distrito de Santarém, numa intervenção no Parlamento, durante o debate sobre as propostas relativas ao tema da idade limite das cartas de condução de veículos com mais de 20 toneladas (no âmbito do Projetos de Lei (PCP e BE) e de Resolução (PCP e PEV).

Neste debate o deputado socialista reconheceu “a importância de se defender a segurança rodoviária”, manifestando ainda compreensão pelas questões laborais em causa.

“Com a alteração feita em 2016, a idade limite para a condução de veículos da categoria D, D1, DE e D1E e CE – cuja massa máxima autorizada exceda 20 toneladas – passou dos 65 para os 67 anos. Mas a atual legislação acautela – e bem – a segurança rodoviária, visto que assinala o requisito dos condutores manterem a aptidão física, mental e psicológica. É a segurança de todos que está em causa”, começou por referir.

Hugo Costa acrescentou que “esta alteração permitiu que Portugal pudesse acompanhar a realidade dos restantes países da União Europeia, atendendo ao facto de o aumento da idade da reforma não se adequar ao limite de idade para a condução dos veículos referidos, existindo condutores que queiram continuar a exercer a profissão após os 65 anos e condutores que com estas determinações não podiam exercer a profissão, mesmo estando aptos. Não faz por isso sentido, enquanto o decreto em vigor, em mexer na idade limite”, considerou.

Não obstante, o deputado disse também que o Grupo Parlamentar do Partido Socialista, como o faz em qualquer assunto, tem estado disponível para dialogar com as organizações representativas dos trabalhadores e com as empresas sobre este tema. “Continuaremos o diálogo de forma a encontrar as melhores soluções para o setor. O consenso atinge-se com diálogo e estou certo que, com o contributo de todos, encontraremos um ponto de equilíbrio nesta matéria”, vaticinou.

Jornalista profissional há mais de 30 anos, passou por vários jornais diários nacionais, nomeadamente pelo 'Diário de Lisboa', 'Diário de Notícias' e 'A Capital'. Apaixonada pela profissão desde a adolescência, abraçou o jornalismo nas suas diversas áreas, desde o Desporto às Artes e Espetáculos, passando pela Política e pelos temas Internacionais. O jornalismo de proximidade surge agora no seu percurso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome