Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Deputado Duarte Marques (PSD) nomeado Relator do Conselho da Europa

O Deputado do PSD, Duarte Marques, natural de Mação e eleito por Santarém, viu hoje ser confirmada a sua nomeação para Relator do Conselho da Europa para a questão das migrações, e em que procurará “definir uma resposta humanitária e política” ao problema dos refugiados.

- Publicidade -

Como membro da Comissão das Migrações, Refugiados e Pessoas Deslocadas, Duarte Marques tem agora a responsabilidade de, ao longo dos próximos meses, preparar um Relatório que deverá procurar de forma abrangente definir uma resposta humanitária e política para a crise de migração e refugiados na Europa.

O relatório tem como objetivo explicar e analisar as razões porque os países têm reações diferentes aos desafios das migrações, da integração de migrantes, definir soluções e partilhar as melhores experiências de integração e de combate à xenofobia.

- Publicidade -

Essas respostas, explicou Duarte Marques, “dependem muito dos contextos geopolíticos, históricos e sócio económicos dos países envolvidos, não podendo haver uma solução única para todos”.

Para Duarte Marques “Portugal tem sido exemplar nesta matéria, em contraste com muitos outros Estados Membros cujo empenho é duvidoso. Até a Turquia tem sido mais cooperante”, afirmou.

Para o deputado português esta nomeação é “uma honra, uma grande responsabilidade, mas também um grande desafio. Este é o tema do momento e este relatório pretende precisamente encontrar uma solução para evitar uma nova crise semelhante”, frisou.

Membro da Comissão das Migrações, Refugiados e Pessoas Deslocadas da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, Duarte Marques deverá apresentar o relatório na sede da ONU, a 19 de setembro, durante um encontro subordinado a esta temática.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome