Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

David Fonseca abre nova temporada do Teatro Virgínia, Torres Novas

A programação do Teatro Virgínia para os meses de abril, maio, junho e julho foi apresentada este sábado. A temporada abre com David Fonseca, logo a 2 de abril, com o seu novo álbum Futuro Eu. Outro destaque vai para a peça Arte, de Yasmina Reza, a 7 de maio, com interpretação de Adriano Luz, João Lagarto e Vítor Norte.

- Publicidade -

O teatro tem uma componente muito forte neste quadrimestre. Nevoeiro Adentro, com encenação de John Mowat, estará em cena a 9 de abril, seguindo-se a apresentação dos grupos de teatro do Virgínia, fruto do trabalho desenvolvido ao longo do ano: o Grupo de Teatro Juvenil com Cenofobia a 23 de abril, e o Atelier Teatral dos Miúdos a representar Mundo Imaginário, no dia 2 de julho.

Para os mais pequenos, dos 3 aos 6 anos, destaque para a peça O Cão Que Corre Atrás de Mim (e o Avô Elísio à Janela), de Filipe Caldeira, nos dias 12 e 13 de maio para escolas, e no dia 14 para famílias.

- Publicidade -

Ainda na música, o concerto do Coral Sinfónico de Portugal, a 1 de maio; Nuno Prata, outrora baixista dos Ornatos Violeta no Café Concerto a 14 do mesmo mês e, logo no sábado seguinte, dia 21, o concerto do 59.º aniversário do Choral Phydellius com a Orquestra de Câmara da GNR. A Empire State Youth Orchestra, com a Orquestra Académica do Médio Tejo, fecham a temporada a 5 de julho.

Na dança, os espetáculos Cair, para escolas nos dias 15 e 16 de abril, e Fall, para adultos a 16 de abril, de Victor Hugo Pontes, completam a proposta do Teatro Virgínia para os próximos meses.

Os bilhetes estarão à venda a partir de terça-feira.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here