Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Quarta-feira, Dezembro 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

No próximo dia 28, a Feira de S. Simão ou da Fossa volta ao Sardoal, depois de dois anos de interrupção pela pandemia. Lembro-me bem da vila do Sardoal no dia desta feira, sobretudo quando me iniciei na fotografia, em finais dos anos 80. Na altura ainda fotografava por fotografar.

- Publicidade -

Todo este processo estava a ser uma descoberta e eu aproveitava tudo para poder experimentar técnicas, películas, revelações caseiras, objetivas e sobretudo para treinar o meu olhar, a minha forma de ver o que se ia passando à minha volta.

E as feiras eram um bom motivo para sair com a máquina e dois ou três rolos de película a preto e branco de preferência (comprava película a metro, geralmente em caixas de 16 e de 30 metros que, em completa escuridão, ia distribuindo pelas cassetes de modo a terem as 36 exposições dos rolos normais). Também já começava a dominar as técnicas de revelação em casa, tornando todo o processo muito mais barato e mais prazeroso. 

- Publicidade -

E estes dias eram dias de festa, muita gente pelas ruas e até me atreveria a dizer que isto já era uma forma de turismo, embora não de uma forma organizada e assumida como hoje e como ainda acontece em várias zonas do país com feiras deste tipo, onde foram acrescentadas outras valências como animação musical, mostra de produtos locais, concursos e provas de vinhos, e outras iniciativas de modo a que as feiras ainda pudessem ser uma maneira de atrair visitantes e divulgar e promover os produtos locais.

Bem, já vai longa esta crónica e deixo-vos uma dessas fotografias do Sardoal que mostram e testemunham parte da nossa história.

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome