Quinta-feira, Dezembro 9, 2021

Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

De vez em quando gosto de passar por ali.

- Publicidade -

É uma zona calma, tranquila e com uma vista muito interessante sobre a cidade. E, se estivermos atentos, podemos contemplar várias variantes de uma mesma paisagem.

Desta vez o Tejo ia mais vazio, o que fez sobressair todas aquelas rochas, tornando a paisagem especial. Ou talvez a paisagem mude na mesma medida que os nossos olhos a queiram ver diferente.

- Publicidade -

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome