PUB

Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

O Jornal “Público” em julho de 1999 fazia a primeira página com a ligação ferroviária TGV entre Lisboa ao Porto numa hora e quinze minutos. O mesmo jornal, 20 anos depois, em outubro de 2020, voltava com a mesma primeira página, referindo-se às recentes declarações do Ministro das Infraestruturas sobre o arranque deste projeto.

Sobre a nossa região, o PNI – Programa Nacional de Investimentos para 2030 inclui uma estrutura ambicionada há mais de 30 anos, a travessia sobre o Rio Tejo entre Abrantes e Constância e a conclusão do troço entre o IC9 e a A23. Mas esta ponte rodoviária já estava incluída no projeto inicial do traçado do IC9 há mais de 20 anos, mas tem sido adiada ao longo dos tempos, pelos sucessivos governos.

Será caso para pensar que afinal será desta?

PUB

Talvez. Mas se entretanto não acudirem aos territórios interiores com medidas de incentivo à fixação de pessoas, com a abolição das SCUT na A23 ou tirando partido do turismo que se viu agora na pandemia que é um sector estruturante, com a criação de um Museu sobre a participação de Portugal na I Grande Guerra, em Tancos (não existe referência museológica alguma em Portugal sobre esta parte da nossa história) com a ligação ao Arneiro da Parada em Montalvo (tudo muito próximo da rota EN2), é bem possível que esta travessia seja mais uma daquelas obras que daqui a 15 ou 20 anos já só sirva para os habitantes daquelas localidades passarem o rio para o outro lado.

Quero acreditar que possa ser muito mais que isso, mas o tempo o dirá.

 

Fotografia: Ponte entre Abrantes e Rossio ao Sul do Tejo, outubro de 2020

PUB
Paulo Jorge de Sousa
Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).