Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

Foto: Paulo Jorge de Sousa

Zona do talho, ontem, num hipermercado da região. Olho para o número no mostrador e debruço-me para tirar a senha ao mesmo tempo que penso que me vou arrepender.

PUB

Estão dois casais, uma outra pessoa e um grupo de sete pessoas, todos quase junto às vitrinas, sem dar sequer espaço a que eu possa ver se há o que pretendo. Nunca mais vou sair daqui, pensei eu.

Vejo o número da senha e sou o 28. Mas, vai no 26 e eu já sou o 28, que se passa por aqui?

PUB

É neste instante que me apercebo da conversa entre as sete pessoas do grupo que ocupavam grande parte daquele espaço:

– Le pain peut-il être une baguette?

PUB

– Oui, oui, peut être. Je mange n’importe quoi.

– Boa, assim passo na parte da padaria e levo. E aqui? O que vamos levar? Tens alhos em casa, certo?

– Sim tenho, isso tenho e sal também.

– Puis et quand nous sortirons d’ici, nous essaierons bientôt de faire tout ce qui manque.

– Olhem, tu e tu podem ir já aos ovos e tragam também qualquer coisa para a sobremesa.

PUB

–  Mais alors qu’allons-nous choisir ici?  Pergunta ainda um deles ao grupo.

– Não sei, pensem lá também, talvez umas coisas que sejam rápidas de pôr na grelha…

Entretanto oiço o meu número: 28 diz a senhora em voz alta do outro lado da vitrina.

Avio-me e venho embora. Sobre este grupo não sei mais nada, calculo que ainda tivessem passado lá beaucoup de temps…

São estes alguns dos sinais que nos fazem lembrar que estamos em agosto. Boas férias a quem já esteja por cá e para os que estejam a chegar. Matar saudades é sempre bom.

PUB

(Ah e perdoem o meu francês).

Fotografia: Sardoal, estrada de acesso à vila, agosto de 2020.

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub
Artigo anteriorAbrantes | Aprovados auxílios económicos a alunos das escolas EB1
Próximo artigo“Flores”, por Armando Fernandes
Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here