Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

Foto: Paulo Jorge de Sousa

O turismo está a passar por momentos difíceis. O turismo e nós, que somos os turistas. Bem, pelo menos os que o podem ser. Tenho visto campanha atrás de campanha (pagas, pois claro) para atrair visitantes de dentro para dentro, ou seja, a tentar que sejamos nós a salvar isto, outra vez. É que, se já salvámos bancos, negócios público/privados e tantas empresas privadas, já estamos habituados a isso.

PUB

Mas pelo que tenho visto, o turismo não se vai aguentar na mesma e não vai ser o que os agentes esperam. É fácil, li algures, que há hotéis a cobrarem mais do que o habitual porque estão a trabalhar a meio gás e pretendem os mesmos lucros e se fizerem uma pequena pesquisa, uma semana numa quinta privada também não fica barata. E não podemos esquecer que muitos portugueses, em números consideráveis, perderam rendimentos, muitos até o emprego.

Fica então uma sensação estranha de quem pode salvar isto, sem ser os que vierem de fora que teimam em não vir, pelas notícias que todos vamos lendo e ouvindo.

PUB

Mas a Estrada Nacional 2 está a cativar algum turismo. É uma aventura e proporciona um conhecimento mais profundo de Portugal, se a fizermos com esse intuito. Claro, sem ser em contrarrelógio. De bicicleta, automóvel, moto, autocaravana, a pé, em grupo, família ou mesmo sozinho.

Como Portugal é um país onde os incêndios são frequentes, é natural que esta rota ofereça uma mostra desse triste espetáculo. Já fazem parte de nós, ano após ano.

PUB

*Fotografia: Brescovo, Santiago de Montalegre, Sardoal, antiga e original Estrada Nacional 2, julho de 2020.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub
Artigo anteriorÀ Descoberta | Fauna e flora do Médio Tejo
Próximo artigoFerreira do Zêzere | Município vai erguer Monumento ao Bombeiro
Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here