Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

Foi aqui, em Montalvo, no ainda chamado Arneiro da Parada”, que Portugal se mostrou  aos aliados e ao mundo que estava mais que preparado para entrar na Grande Guerra, de tal forma que até lhe deram a todo o processo a designação de “Milagre de Tancos”. Isto por si só já significa que sem a ajuda divina, os Portugueses não estavam confiantes de conseguirem tal feito sozinhos.

- Publicidade -

Mas a história já nos mostrou o que aconteceu antes e depois dessa manifestação de poderio. Pelo menos Portugal já mostrava que estava ao nível de qualquer outra potência no mundo no domínio das FAKE NEWS, basta ver a imprensa da época.

E 100 anos depois da assinatura do Armistício, continuamos a dar cartas nessa área.
Continuamos a querer fazer passar uma imagem de Portugal, que não existe.  Até 2028, vamos pagar 11 milhões por ano para mostrarmos ao mundo que somos tão capazes como eles de usar e discutir as novas tecnologias e novos modelos de gestão de negócios, assegurando a Web Summit em Lisboa.

- Publicidade -

Ao mesmo tempo as noticias que vão saindo lá fora sobre nós, são sobre a incapacidade de alguns deputados perceberem que uma password pessoal é pessoal e que não pode ser usada por outros e que há figuras do estado que, com a ajuda da tecnologia, têm o dom da ubiquidade.

Não chegasse este facto, podemos dizer ainda que ao precisarem de aceder à informação pessoal do outro deputado para consultar documentos de trabalho, é porque não dispõem de circuitos electrónicos normais para os partilhar. Ou caso hajam, não os sabem usar.

(Montalvo, Arneiro da Parada, 2017)

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome