Covid-19 | UF Mação, Penhascoso e Aboboreira apela à comunidade para cumprir normas

Foto: UFMPA

A União de Freguesias de Mação, Penhascoso e Aboboreira (UFMPA), concelho de Mação, está preocupada com o não cumprimento das recomendações das autoridades de saúde por parte da sua população, nomeadamente pelos mais idosos, enquanto grupo de risco. José Fernando Martins, presidente da UFMPA, disse ao mediotejo.net que as aldeias há muito “não registavam tanta gente como agora”, referindo que chegaram muitos migrantes e emigrantes. O problema é que da enchente “muitos não cumprem com as regras”. Por outro lado, a junta de freguesia tem apostado no apoio social, nomeadamente para fazer compras de bens essenciais e levantar medicamentos, no intuito de proteger os mais idosos, mas ainda assim estes continuam a ir, por iniciativa própria, “todos os dias às compras e até mais que uma vez”, colocando-se em perigo.

José Fernando Martins mostrou a sua preocupação, vincando uma vez mais que a União de Freguesias está disponível para continuar no terreno a acompanhar e apoiar a população para o que for necessário.

Além de ter sido lançada a iniciativa “Fique em Casa… Nós vamos por si”, onde a junta de freguesia se disponibiliza a ir às compras de bens essenciais, levantar medicamentos e comprar alimentação para os animais, para evitar que pessoas com mais de 65 anos ou doentes crónicos corram riscos de contágio por Covid-19, a junta de freguesia libertou uma verba de 7250 euros para pôr em prática outro tipo de apoio que a comunidade entenda por necessário, ou até como reforço da iniciativa anterior.

PUB

O valor estava previsto no Orçamento para o ano 2020, para realização das atividades Percurso Pedestre “Trilhos do Brejo” (1250 euros), Convívio para a Terceira Idade (4250 euros) e Encontro de Dirigentes Associativos (1750 euros), que foram canceladas tendo em conta a atual pandemia que invalida a realização de eventos e o convívio.

José Fernando Martins referiu ainda que esta verba “será canalizada para um programa de apoio no âmbito da pandemia Covid-19”, onde se inclui “toda a logística da ação em vigor de compras e entrega ao domicílio a favor da população mais idosa ou doentes crónicos”.

Ainda assim, está previsto esta semana a “entrega de algum material de proteção individual (máscaras e álcool) junto das IPSS da União de Freguesias, que acusam carência deste tipo de material. Estamos no mercado a tentar adquirir mas, o pouco que existe tem preços altamente inflacionados, insuportáveis para as instituições”, alerta.

O presidente da UF Mação Penhascoso e Aboboreira relatou ainda um pouco do que tem sido o esforço feito pela junta de freguesia, junto da comunidade.

“Para além de muitas visitas e vigilância permanente, com especial incidência nas aldeias, estamos também a realizar diariamente dezenas de telefonemas para sensibilizar as pessoas a seguirem as recomendações que lhes chegam a casa, nomeadamente via televisão e rádio e também outros familiares que telefonam. Alertamos para a vigilância ativa dos vizinhos uns para com os outros”, enumerou.

Por outro lado, admite que no futuro a verba poderá ser aumentada no sentido de corresponder às necessidades prementes. “No futuro, e caso se julgue necessário, estaremos certamente dispostos a alargar esta verba porque neste momento, mais do que fazer esta ou aquela obra, o mais importante é zelar pela saúde e bem estar das pessoas”, assumiu.

O presidente da União de Freguesias reforçou ainda o apelo à comunidade, para cumprir com as normas da Direção-Geral de Saúde e restantes entidades nacionais e locais, amplamente divulgadas e determinantes para prevenir o contágio por Covid-19, que se alastra no país e na região.

José Fernando Martins admite que o cenário nas aldeias de Mação, Penhascoso e Aboboreira é preocupante, com uma enchente de migrantes e emigrantes vindos de outros cantos do país e do mundo a verificar-se e onde a maioria descura medidas de proteção e prevenção.

“Há muito tempo que as nossas aldeias não registavam tanta gente como agora. Nem mesmo no verão. Chegaram muitas pessoas de outros pontos do país e alguns emigrantes espalhados pelo mundo inteiro. O pior é que muitos não cumprem com as regras. A semana passada chegaram e foram todos para os cafés que ainda estavam abertos”, denuncia.

Por outro lado, a grande preocupação prende-se com os idosos, grupo de risco e mais vulneráveis a este contágio pelo novo coronavírus. “Alguns cumpriram e estão a cumprir… Estamos com um problema. Os mais idosos especialmente da vila, não estão a respeitar as orientações da DGS e vão todos os dias às compras e até mais do que uma vez. Esta é de momento a minha preocupação até porque são a faixa etária da população de maior risco. O meu apelo vai no sentido de que todos fiquem em casa porque é onde estão protegidos. Para aqueles que andam na rua, que respeitem a regra do distanciamento social”, reforçou.

José Fernando Martins deixou, por fim, um agradecimento a todos os profissionais e voluntários que estão a prestar auxílio e apoio à comunidade, nomeadamente através de IPSS do concelho.

“Para os que têm que trabalhar para garantir o conforto e proteção de outros, o meu muito obrigado por esse esforço. Uma palavra final para todas as colaboradoras das IPSS do concelho. O seu trabalho e empenho têm sido cruciais para manter os nossos idosos protegidos. Esta deve ser uma das nossas principais preocupações, pelo número de idosos que apoiam e porque, no conjunto, as IPSS são o maior empregador do concelho de Mação”, concluiu.

A União de Freguesias disponibilizou os seus contactos para qualquer problema, pedido de ajuda, esclarecimento ou sugestão, encurtando distâncias em tempo de pandemia. Podem ser feitos contactos através do telefone geral 241 572 819 ou do telemóvel 927 997 145 (Presidente da UFMPA).

Por Si, Por Todos Nós!

Publicado por União de Freguesias de Mação,Penhascoso e Aboboreira em Sexta-feira, 13 de março de 2020

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here