Covid-19 | Presidente da Câmara de Sardoal testa positivo ao novo coronavírus (c/áudio)

O presidente da Câmara Municipal de Sardoal, Miguel Borges, acusou hoje positivo ao novo coronavírus e entrou em isolamento profilático domiciliário, a par da sua esposa, também com teste positivo ao SARS-CoV-2, revelou o autarca ao início da manhã de sábado. Em declarações ao mediotejo.net, Miguel Borges disse que se dirigiu na sexta-feira ao hospital de Abrantes por ter sintomas que poderiam estar associados ao vírus SARS-CoV-2 e que, da bateria de exames, resultou teste positivo ao novo coronavírus, para si e para a sua esposa, a professora Ana Borges, e cujos resultados foram conhecidos esta manhã.

PUB

“Isto toca-nos a todos, tento cumprir ao máximo as regras mas há sempre aquele momento que nós não esperamos e não sabemos, mas também não interessa agora saber onde é que se apanhou, o mais importante agora é cortar as redes de contágio”, afirmou.

ÁUDIO | MIGUEL BORGES

PUB

“Em termos de saúde estou bem, como se tivesse uma pequena gripe”, revelou o autarca de Sardoal, também presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Santarém, revelando ainda que havia realizado um teste na semana passada, que deu negativo. “Ontem estava com alguns sintomas, tive dúvidas se seria por outro problema que estou a tratar, e, pelo sim, pelo não, fui ao hospital, fiz análises e o teste deu positivo, soubemos esta manhã”.

Miguel Borges assegurou continuar a exercer funções a partir de casa e a participar nas reuniões, em regime de teletrabalho”, utilizando as novas tecnologias, “se a saúde o permitir e se os sintomas não se agravarem”.

“Vou ficar em casa nos próximos 10 dias, com alguns medicamentos para mim e para a minha mulher, que estamos os dois positivos, e esperamos que seja um passar ligeiro, sem consequências de futuro, e é isso que acreditamos porque sou um homem de fé, e tenho fé”.

Casado e com quatro filhos, o professor social-democrata tem 55 anos e integra os grupos de risco devidos a algumas patologias como a diabetes e a hipertensão.

O seu município é um dos que integra a lista de 191 concelhos sob risco elevado de contágio por covid-19. No universo de cerca de 3.750 habitantes com residência em Sardoal, o último boletim epidemiológico do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES Médio Tejo) indicava esta sexta-feira um total de 19 casos de infeção desde o início da pandemia e “um óbito fiscal”.

Ao início da manhã deste sábado, Miguel Borges publicou uma mensagem na sua página do Facebook, numa foto em que surge ladeado pela sua esposa, Ana Borges

Miguel Borges e Ana Borges acusaram positivo ao SARS-CoV-2 e estão em isolamento profilático. Foto: Miguel Borges

“Caros Amigos,
A nossa vida, nos dias de hoje, tem destas coisas. Eu e a Ana testámos positivo ao COVID-19. Vamos ultrapassar mais esta batalha como outras que temos tido na nossa vida, e de maior dureza. Ambos fizemos teste recentemente e tinha dado resultado negativo, agora as coisas inverteram-se. Estou consciente de ter cumprido as normas o mais possível mas, mesmo assim, as coisas podem acontecer e aconteceram. Tenham um muito bom dia, com muita saúde!”.

O autarca apelou ainda, e mais uma vez, à responsabilidade social da população, tendo relembrado que existem algumas práticas de socialização que não podem, por agora, acontecer, de modo a travar a propagação da pandemia.

Portugal contabiliza pelo menos 3.250 mortos associados à covid-19 em 204.664 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 23 de novembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado e municípios vizinhos. A medida abrange 114 concelhos, número que passa a 191 a partir de segunda-feira.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

PUB
Mário Rui Fonseca
A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).