Covid-19 | Ponte de Sor na lista de concelhos com risco elevado “numa ótica preventiva” – Autarca

Ponte de Sor consta na lista de concelhos com risco elevado de transmissão da covid-19, sujeitos a medidas mais restritivas como o recolher obrigatório. Presidente pede “solidariedade entre todos”.

A partir de segunda-feira, Ponte de Sor passa a constar da lista de risco elevado e aos quais se aplicam as medidas mais restritivas, será por isso um dos 191 concelhos de Portugal continental abrangidos pelas medidas de restrição no âmbito do novo estado emergência.

O presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Hugo Hilário, numa comunicação aos munícipes, explica que no período em análise, o concelho “atingiu um total de novos casos que implicou alcançar a fasquia quantitativa definida pelas autoridades sanitárias e utilizada pela União Europeia para entrada nesta lista”.

PUB

Ainda assim, acredita que a inclusão de Ponte de Sor como território de “risco elevado” terá acontecido “numa ótica sobretudo preventiva” tendo sido, segundo diz, “equacionadas outras variáveis não quantitativas, que se deverão prender” com a proximidade de Ponte de Sor “a cinco concelhos que apresentam uma situação de risco acrescido, o que terá contribuído para a decisão tomada”.

Além disso “a distribuição dos nossos casos incide em grande número na freguesia de Montargil cujos números representam, face ao total populacional, um quadro agravador e que requer especial atenção”, justifica.

Hugo Hilário, presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor. Créditos: DR

A atualização da lista, atualmente com 121 concelhos, retira sete municípios, em que estas medidas de restrição deixam de estar em vigor, a partir das 00h00 de sexta-feira, e inclui 77 novos concelhos a partir das 00h00 da próxima segunda-feira, anunciou o primeiro-ministro, António Costa, que falava após uma reunião do Conselho de Ministros, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.

Esta sexta-feira, 13 de novembro, o concelho de Ponte de Sor “tem 65 casos confirmados, dos quais 30 estão ativos, 34 já recuperaram e há um óbito a lamentar. Os dados divulgados diariamente pelo Município são confiáveis, correspondendo à atualização diária dos casos ativos e recuperados registados, e resultam de uma estreita articulação com as autoridades competentes, podendo a nossa comunidade continuar a depositar neles a sua total confiança”, assegurou Hugo Hilário.

Assim, a partir das 00h00 do próximo dia 16, segunda-feira, os residentes em Ponte de Sor estarão sujeitos às medidas especiais definidas, nomeadamente proibição de circulação entre as 23h00 e as 05h00 de segunda a sexta feira; recolhimento obrigatório; a partir das 13h00 de sábado e domingo, os restaurantes só podem funcionar através de serviço de entrega ao domicílio; encerramento do comércio das 13h00 de sábado às 08h00 de domingo e das 13h00 de domingo às 08h00 de segunda-feira; e dever cívico de ficar em casa.

O presidente considera que os munícipes devem “encarar esta nova realidade sem alarmismos, mas com o máximo de empenho e prudência. Esta é, para a nossa comunidade, uma das fases mais exigentes no combate a esta pandemia, quer pelo número de casos registados, quer pelas rigorosas medidas que vamos ter de cumprir”.

Por outro lado, afirma “estas medidas existem exatamente para salvaguardar a saúde pública e dar uma resposta inequívoca à urgência de travar novos contágios. Admite no entanto ter “o custo de condicionar a nossa liberdade de circulação e criar constrangimentos suplementares à nossa atividade económica” e pede “solidariedade entre todos”.

O concelho de Ponte de Sor “tem conseguido, nas últimas décadas, superar-se em vários domínios, mostrando ser uma comunidade forte e coesa”, conclui.

Reavaliada a cada 15 dias pelo Governo, a lista de concelhos com risco elevado de transmissão da covid-19 é definida de acordo com o critério geral do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) de “mais de 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias”, e considerando a proximidade com um outro concelho nessa situação e a exceção para surtos localizados em municípios de baixa densidade.

PUB
Paula Mourato
A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).