PUB

Covid-19 | Número de mortos do lar de Minde em Alcanena sobe para 15 (C/ÁUDIO)

O número de mortos por covid-19 do Centro de Bem-Estar Social de Minde, em Alcanena, subiu para 15, havendo ainda a assinalar 14 utentes hospitalizados e um total de 99 utentes e 47 funcionários infetados, disse a delegada de Saúde do Médio Tejo.

PUB

“Infelizmente há 14 utentes hospitalizados e 15 utentes que faleceram”, disse Maria dos Anjos Esperança, tendo feito notar que a situação “preocupa” neste lar situado em Minde e que o mesmo “tem estado muito bem acompanhado diariamente com reforços de recursos humanos e em termos de análises de risco”, entre outros cuidados.

A delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo disse ainda que todos os utentes e funcionários vão ser testados novamente esta semana, tendo afirmado “esperar que já haja mais pessoas recuperadas” deste surto que principiou no dia 7 de novembro.

PUB

ÁUDIO MARIA DOS ANJOS ESPERANÇA, DELEGADA DE SAÚDE ACES MÉDIO TEJO:

O lar dispõe de dois edifícios, um mais antigo, de rés-do-chão, e outro, com três pisos, tendo o surto alastrado aos dois espaços, disse, por sua vez, a presidente da Câmara de Alcanena, Fernanda Asseiceira (PS), sublinhando as “excelentes condições” existentes nesta instituição.

Notando tratar-se de uma “instituição de grande dimensão, que tem dois edifícios”, a autarca explicou que na prática “é como se houvesse dois surtos”. Porém, como os imóveis integram a mesma instituição, considera-se que existe um.

Sublinhando que o concelho se encontra entre os classificados como de risco extremamente elevado, devido ao número de infetados no lar de Minde, Fernanda Asseiceira disse esperar que a testagem generalizada esta quarta-feira, dia 02 de dezembro, a todos os utentes e funcionários do lar venha a permitir “contabilizar todos como recuperados” ou “pelo menos já um elevado número de recuperados”.

A autarca lamentou o número de mortes registadas até ao momento, manifestando a sua solidariedade para com as famílias, a instituição e os funcionários, e apelando a todos os munícipes para que cumpram estritamente as recomendações da Direção-Geral da Saúde.

O surto foi identificado no dia 07 de novembro depois de uma idosa ter sido submetida ao teste ao SARS-CoV-2 quando foi internada no Centro Hospitalar do Médio Tejo.

Nos testes realizados em 20 de novembro, registou-se um total de 158 infetados (111 utentes e 47 trabalhadores), havendo na altura dois mortos e apenas 12 utentes apresentaram resultado negativo no teste, mantendo-se isolados dos restantes.

Desde o dia 20 de novembro e até hoje ocorreram mais 13 óbitos, o último das quais nas últimas 24 horas.

Segundo os dados divulgados ontem pelo Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo, o concelho de Alcanena, que é município de risco extremamente elevado, tem 297 casos de covid-19 desde o início da pandemia e 143 recuperados.

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 08 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana e feriados, nos territórios mais afetados, a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

c/LUSA

PUB
PUB
Mário Rui Fonseca
A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).