Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Covid-19 | Municípios do Médio Tejo baixam níveis de risco à exceção de Sardoal e Mação (c/ÁUDIO)

Quase todos os 11 municípios do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo melhoraram o seu índice no mapa de risco de propagação da covid-19. A região não tem agora nenhum concelho em ‘risco extremamente elevado’, com Alcanena a baixar para ´muito elevado’, nível que partilha com Sardoal, um dos dois únicos concelhos que sobem na escala de risco. Mação também subiu um nível, passado de ‘risco moderado’ para ‘risco elevado’. As novas medidas entram em vigor às 23:59 de terça-feira, dia 8 de dezembro.

- Publicidade -

- Publicidade -

Abrantes e Constância, que estavam em risco ‘muito elevado’, baixaram para ‘risco moderado’, uma descida assinalável de dois níveis no espaço de duas semanas. Também Vila Nova da Barquinha integra agora o grupo de municípios em risco moderado, baixando um escalão. Ourém também sai do nível ‘muito elevado’ integrando agora o grupo de município de risco ‘elevado’

A Delegada de Saúde Pública do ACES Médio Tejo considerou a evolução dos municípios “muito boa”, tendo feito notar o ‘R’ na região está abaixo de 1, ou seja, com menor risco de propagação do vírus, e que agora não há nenhum município em ‘risco extremamente elevado’. Destaque ainda para as descidas de Abrantes, Constância e Vila Nova da Barquinha para ‘risco moderado’, o que vai permitir aliviar as restrições nestes concelhos ao nível do comércio, em geral, e da restauração, em particular.

- Publicidade -

ÁUDIO |  DELEGADA DE SAÚDE ACES MÉDIO TEJO, MARIA DOS ANJOS ESPERANÇA

O governo divulgou no sábado a listagem dos concelhos de acordo com o seu nível de risco e Alcanena e Sardoal são os únicos concelhos do Médio Tejo em risco ‘muito elevado’, com mais de 480 casos por cada 100 mil habitantes. Logo a seguir, num grupo classificado como de “risco elevado” figuram Entroncamento, Mação, Tomar, Torres Novas, e Ourém, com mais de 240 casos (mas abaixo dos 480) por cada 100 mil habitantes.

Abaixo da “linha vermelha” traçada nos 240 casos por cada 100 mil habitantes estão agora quatro concelhos deste ACES: Abrantes, Constância, Vila Nova da Barquinha e Ferreira do Zêzere, a que se juntam Sertã e Vila de Rei, já no ACES Pinhal Interior Sul mas que integram também a região administrativa do Médio Tejo.

Há quatro níveis de risco a considerar (moderado, elevado, muito elevado e extremamente elevado), sendo que, nos concelhos “vizinhos” do Médio Tejo, Chamusca subiu de ‘risco elevado’ para ‘muito elevado’, Gavião subiu de ‘risco elevado’ para ‘risco extremamente elevado’ e Ponte de Sor desceu de ‘risco elevado’ para ‘risco moderado’.

Proibições à circulação ao fim de semana mantêm-se em concelhos de maior risco

Os concelhos com risco de transmissão de covid-19 muito elevado e extremo voltarão a ter proibição de circulação na via pública a partir das 13:00 nos fins de semana de 12 e 13 e de 19 e 20 de dezembro.

A medida foi anunciada no sábado pelo primeiro-ministro, numa conferência de imprensa em Lisboa, onde António Costa referiu que as regras para combater a pandemia no território continental vão manter-se na generalidade até 07 de janeiro, embora estejam previstas alterações para os períodos de Natal e de passagem do ano.

Relativamente à proibição de circulação na via pública nos territórios mais afetados nos dois próximos fins de semana, está em causa o dever de recolhimento domiciliário entre as 13:00 e as 05:00 do dia seguinte.

Nos dias úteis (com exceção dos dias abrangidos pelas medidas de Natal e Ano Novo) o recolher obrigatório mantém-se entre as 23:00 e as 05:00 nestas áreas.

Este é o horário do recolher obrigatório durante todos os dias da semana para o terceiro patamar de risco, ou seja, para os municípios que estão no nível elevado.

Segundo António Costa, há 27 concelhos de risco muito elevado ou elevado que, devido a uma “evolução francamente positiva na última quinzena”, passam para moderado, enquanto outros 12 saem do nível extremamente elevado e dois saem do nível muito elevado.

Segundo o novo mapa de risco de transmissão divulgado pelo Governo, com informação atualizada em 02 de dezembro, a lista de municípios no nível extremamente elevado é reduzida, em relação a 19 de novembro, de 47 para 35, enquanto a do nível muito elevado passa de 80 para 78.

Os municípios de nível elevado passam de 86 para 92 e os de nível moderado aumentam de 65 para 73. Em novembro, o executivo tinha já dividido os 278 municípios do continente em quatro grupos, consoante o nível de risco de transmissão: moderado, elevado, muito elevado e extremamente elevado.

São considerados concelhos em risco extremamente elevado aqueles que apresentem nos 15 dias anteriores mais de 960 casos de infeções por 100 mil habitantes.

Os concelhos são classificados como de risco muito elevado se tiverem tido nos 15 dias anteriores entre 480 e 960 casos e de risco elevado se registarem mais de 240 e até 480 casos.

O mapa do risco de transmissão pode ser consultado em www.covid19estamoson.gov.pt.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome